Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

SOGRA (TOTALMENTE VERIDICO)

Iniciando como todo e qualquer conto, me chamo Marcelo, sou moreno escuro, tenho 1,77mt, olhos negros, cabelos raspados, e tenho 23 anos. Esse conto é real, e vou tentar transcrever todos os detalhes do que aconteceu.

Bem, tenho uma namorada chamada Amanda que é uma delicia, e gostamos muito de transar, ela se entrega totalmente na cama. Acontece que acabamos nos descuidando e ela engravidou, na hora foi um desespero, ouvimos vários desaforos de nossas familias, e por fim descidimos nos casar. Como estava desempregado fui morar na casa dela até agente se casar, sendo que na casa moravam ela, a mãe e o padrasto. Todos muito gente boa, o padrasto dela se chama Luciano, e é super gente boa, a mãe Miriam é um pouco mais nervosa. Minha sogra e o marido viviam muito bem, sempre se agarrando, se beijando com desejo. Sempre fui muito carinhoso com minha sogra, mas sem segundas intenções, sempre que chegava em casa e ela estava eu a abraçava e beijava sua testa ou sua bochecha, nunca via minha sogra como mulher.

Viviamos todos muito bem, em harmonia, um dia fui ao posto de saúde proximo a casa deles marcar ficha para minha esposa, estava na fila quando o padrasto dela vem pela rua conversando com uma mulher de uma forma um tanto quanto suspeita, bem proximos, rindo muito, quando ele me viu se distancio da mulher e me comprimentou dando um sorriso como quem diz " Isso fica entre nás!!!", tudo bem, acho até normal. O tempo foi passando e fomos todos ficando cada vez mais intimos, mais proximos, sempre alugavamos filmes e viamos no quarto deles, eles deitados na cama, e nás sentados no chão, minha namorada sempre dormia durante o filme deitada no meu colo, e eu as vezes olhava de canto de olho e vez por outra pegava o Luciano alisando o corpo da Miriam, acariciando a bunda dela. As vezes acordava a noite para ir ao banheiro que fica ao lado do quarto deles e ouvia eles transando, ela gemia muito, mas como não sentia nada por ela, tudo bem, eu voltava pro quarto e logo ouvia eles se levantando para ir ao banheiro.

O tempo foi passando a agente sempre na mesma rotina, como sempre na casa deles foram somente os três eles se permitiam algumas liberdades como andar com roupas mais a vontade. Como estava desempregado sempre acordava mais tarde que todo mundo, quando todos já tinham ido trabalhar, mas um dia acabei acordando mais cedo pra ir ao banheiro, quando abri a porta levei um choque, minha sogra sentada no vaso virada de costas para porta, fiquei parado ali sem ação, e ela olhou para trás e ficou paralisada tb, quando retomei a coinciencia pedi mil desculpas voltando para trás. Quando fomos tomar café ficou aquele clima pesado, não nos olhavamos. Ela foi para o trabalho, mas a imagem daquela bunda dela não saia da minha cabeça, ela não era linda, mas tb não era feia, e o fato de ver aquela bunda me deixou pensando nela. Quando todos chegaram estava muito constrangido, mas ela me tratou como sempre, e isso me deixou mais relaxado. Como sempre acontecia, na hora do jantar ela colocou a camisola, mas já passei a olha-la de forma diferente, ela magrinha, a camisola branca estampada de seda moldava a bunda dela, e as alças folgadas deixava ver parte dos seios pequenos, no formato de pêra, por mais que tentasse, não conseguia me conter, e olhava a olhava, ela me pegava olhando, mas não falava nada. Fomos todos dormir, mas eu não conseguia pegar no sono, me levantei lentamente e fui para o banheiro sem fazer barulho, chegando lá ouvi eles transando com todo tesão, ouvia o barulho dos corpos deles se batendo um contra o outro, ia alisando meu pau e imaginando eles transando. Nesse final de semana que tudo aconteceu fomos pra casa que eles tem na praia, chegando lá fomos pro mar, ao ver ela com um biquine fio dental, pude ver de perto aquela bunda, sem estria nenhuma, sem uma celulite, fiquei louco de tesão, minha namorada e meu sogro já tinham entrado na água, e ela estava de pé, de costas pra mim, tirando a bermuda, e eu sentado na areia, quando derepente ela me chama pra ir pra água, não queria ir, pois estava de pau duro e ela iria ver meu estado, mas ela insistiu, e tive que levantar, ela logo desceu os olhos pra minha sunga, tenho um pau de tamanho normal, mas bem grosso, e que ficou marcada na sunga que estava usando, ela olhou, ficou parada, não disse nada, e em silencio saiu na minha frente com aquela bunda linda em direção a água, fiquei louco. Na água meu sogro abraçava ela por trás e ficava roçando o pau na bunda dela, ela as vezes me dava uma olhadinha de canto de olho.

Voltamos pra casa deles no mesmo dia, e a noite já não me aguentava de anciedade que minha namorado fosse dormir pra poder ouvi-los, sai bem devagar, e desta vez, alucinado pelo tesão, sai pela sacada, pois devido ao calor, sabia que toda noite eles dormiam de janela aberta, dessa vez não foi diferente, abaixado fui olhando devagar, apesar da luz apagada fui vendo aos poucos, e a visão que tive me deixou zonzo de tesão, ela deitada de olhos fechados, ele dizendo alguma coisa no ouvido dela, e ela com um vibradorzinho preto passando no grelinho, enquanto ele falava ia alisando os seios dela, que seios deliciosos, não como de uma menina, mas como de uma mulher, um pouco caidos, mas ainda durinhos, pequenos, no formato de peras, biquinhos largos marron claro, ela as vezes parava de falar para lamber os biquinhos dela, não aguentei e comecei a me masturbar, parei um pouco para tentar ouvir o que ele falava pra ela, e o que ouvi foi:



_ Imagina seu ex marido agora, chegando em casa, pegando vc sozinha, chupando sua bucetinha, enfiando o pau na sua buceta por trás, entrando e saindo, agarrando seu peito com força.



Quanto mais ele falava mais ele esfregava o vibrador, e mais ela gemia e pedia pra ele não parar de falar, foi indo até ela gozar, e como gozou, tinha orgasmos mutiplos, nunca vi ninguém gozar daquele jeito, depois de recuparar, ela veio chupando o pau dele todo, como chupava bem, passava a lingua devagar na cabecinha, e ela tem uma boquinha pequena, e lábio inferior grosso, e que delicia ver aquilo, não se se por instinto, mas enquanto ela chupava deliciosamente o pau dele, ela olhou pra janela, e deu um sorriso com pau na boca, me assustei e ma abaixei depressa, com coração na mão sai devagar, e voltei pro quarto morrendo de medo, não peguei no sono imaginando no esporro que iria tomar no outro dia. No entanto ela não falou nada.

A noite tudo transcorria normalmente, mas uma hora, ela já de camisola, sentou no colo do marido e vi algo que me tirou de orbita, ao olhar rapidamente percebi que ela estava sem calcinha, e acho que ela percebeu que eu olhei, quase não conseguia disfarçar minha ereção.

Um dia a tarde estava no quarto deles vendo tV, pois lá é o unico lugar que pega SKY, e como sabia que estava sozinho, coloquei no Sexy Hot, pois o marido dela assina, estava me alisando dentro da bermuda, quando de supetão vejo a porta abrir, era minha sogra entrando, não esperava, pois ela trabalhava o dia todo, ela entrou, e quando viu o que estava fazendo me falou "Pode continuar assistindo, sá vou pegar uma roupa para me trocar e já estou saindo"

Fiquei constrangido mas tudo bem, sai do quarto depois dela, e ela agiu naturalmente, me disse que havia vindo mais cedo pois haviam dado férias para ela.

Na manhã do outro dia todos foram trabalhar, e ficamos apenas nás dois em casa, conversavamos bastante, sobre várias coisas, até que ela me perguntou por que gostava de ver filmes pornás como naquele dia, o que isso me causava, levei um choque com a pergunta, mas respondi que haviam filmes em que as estorias eram exitantes, ela então trocou de assunto. Fui ajudando ela nos afazeres da casa, depois fomos preparar o almoço, ai ela me perguntou que tipos de estorias de filmes pornos eu gostava, mesmo com medo não titubei e disse que gostava muito de estorias de mulheres mais velhas com homens mais jovens, e gostava muito de estorias com incesto, e na ansia do tesão perguntei pra ela que estorias ela gostava, sem pestanejar ela respondeu que gostava muito de negros com brancas, que achava muito provocante, nesse instante o assunto morreu ai.

A noite foi pra faculdade, e quando cheguei o marido dela havia ido a venda, e minha namorada estava tomando banho, ela estava na pia da cozinha, cheguei e naturalmente lhe dei um abraço por trás, e um beijo no rosto, quase na nuca, ela se arrepiou toda, e fechou os olhos, eu logo me afastei. No jantas era nitido pra nás dois que havia algo diferente, vez por outra tocavamos olhares cumplices, sorrisos, vez por outra roçavamos nossos braços acidentalmente.

No outro dia tudo transcorria naturalmente, mas ela usava uma blusinha solta de alça sem sutiã e uma saia bem folgada, ela ia limpando os máveis, e quando se abaixava via seu seios balançando dentro da blusa, lindos. Ela não se esforçava em esconder, e nem eu disfarçava meu olhar, aquele jogo de sedução estava me deixando louco, a noite nossas trocas de olhares ficaram mais intensas, mas safadas.

No outro dia ela colocou uma blusinha branquinha ainda mais folgada, e um short não tão curto, mas bem larguinho, eu por minha vez coloquei um calção folgado sem cueca,não deu outra, logo nos primeiro afazeres, quando vi os seios dela, e a curvinha da bundinha dela, meu pau logo deu sinal no calção, e ela vi, e quanto mais ela me via excitado mais se mostrava, mas se esforçava pra mostrar a bunda e os seios, fomos almoçar e não falavamos, apenas nos olhavamos, a noite não fui pra faculdade, quando ela estava lavando algumas louças cheguei perto abracei denovo, passei os braços em volta da sua cintura e beijei sua nuca, ela se arrepiou todinha, ela baixinha ficou na ponta dos pés, passei as mãos na barriga dela, mas logo ouvi barulho no portão, e tive que sair, pois eles haviam chegado.

Custei esperar chegar o outro dia, a noite no jantar agente exalava tesão um pelo outro, a noite passou devagar, não consegui dormir, amanheceu e tanto eu e ela estavamos meio anciosos, a ponto da minha namorada perguntar o que estava acontecendo, porque deu estar nervoso. Começamos os afazeres se dizer uma sá palavra, sá dava pra ouvir nossas respirações descompassadas, depois de limpar as coisas, como em um ritual ela se encaminhou lentamente para pia para lavar as coisas, como nos dias anteriores, esperei um pouco, estava nervoso, fui andando devagar, parei atrás dela, fui chegando perto até meu corpo encostar no dela, eu estava sem camisa e cobri todas suas costas com meu corpo, coloquei as mãos na sua cintura, fui passando os dedos devagar na barriga, indo e vindo por alguns minutos, fui subindo minhas mãos devagar por dentro da blusa folgada dela, nesse momento ela soltou o corpo dela contra o meu, fui subindo mais meus dedos até que tocasse a base inferior dos seus seios, quanto mais meus dedos subiam mais ela respirava pesado, parei minhas mãos nesse lugar, e comecei a beijar devagar seu pescoço e nuca, deixando ela arrepiada, se contraindo toda, deixei meus dedos subirem mais, até tocarem seus biquinhos que estavam totalmente arrepiados, desci as alças da sua blusa e comecei a beijar suas costas núas a cada momento que sua blusa caia, ela começoua a tomar atitude alisando minas coxas, fui virando ela de frente devagar, e enfim beijei sua boca, que tesão, ela tinha um vulcão dentro de si, beijava, mordia meus lábios, desceu as mãos agustiadas até meu calção e alisou ele por cima, depois enfiou as mãos e começõu a apertar, indo e vindo, fui descendo minha boca até chegar nos biquinhos largos, fui passando a lingua devagar, sentindo eles cada vez mais arrepiadinhos, enquanto ia tirando seu short, para minha surpresa ela estava sem calcinha, fiquei um tempão lambendo seus biquinhos, depois peguei ela no colo, coloquei sentada na pia, e comecei a passar a lingua na virilha dela, indo e vindo perto da bucetinha, fazendo ele delirar de vontade, até não aguentar e pedir pra chupa-la, fui lambendo seu grelinho, passando a lingua devagar, sentindo seu caldinho todinho, deixando ela cada vez mais molhada, ela gemendo cada vez mais depressa, vendo isso passei a lamber sua bucetinha com toda minha vontade, todo meu tesão, ela foi indo, até gozar na minha boca, que maravilha, ela se tremia toda, eu não parava de chupar, e ela não parava de gozar, que delicia sentir o gostinho do goza dela na minha boca, ela se desmontou todinha, depois desceu, e veio me beijar, foi descendo sua boca, passando a lingua devagar nos meus mamilos, me deixando ainda mais tarado, mordeu meu pau por cima do calção, foi tirando devagar pelo elastico, até que ele pulou na frente dela, ela devagar passou a lingua na pontinha da cabecinha, foi lambendo em camera lenta até as bolas, depois voltou, pra abocanhar meu pau e começar a ir e vir com a boca bem devagar, aumentando gradativamente a velocidade, até me chupar com toda voracidade, com toda fome, cheia de vontade, não aguentei e coloquei ela de quatro na mesa, acericiei sua bunda redondinha, estufadinha, e coloquei meu pau na entrada da bucetinha dela, eu segurava sua cintura, mas ela queria meu pau todo dentro, fui entrando devagar, mas ela não resitiu e empurrou seu corpo contra o meu, fazendo meu pau entrar de uma vez, escorregar todo pra dentro da bucetinha dela, até tocar no fundo, fui enfiando com todo tesão, sentindo ela toda, chamando ela de gostosa, de safada, ela me chamando de puto, safado, nosso tesão era tão grande que em quinze minutos ja estavamos nos entregando ao mais intenso orgasmo, louco de tesão.

Bem, esperam que tenham gostado, desculpe por ter me estendido tanto, mas por ser real, quiz trazer pra vcs todos os detalhes.

Da proxima vez conto pra vcs da vez em que transamos a noite no banheiro enquanto minha namorada e o marido da minha sogra dormiam nos quartos ao lado.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos minha irmã e minha putacontos eróticos surpresa travestiquero ver Márcia cama na buceta e gozando quero ver Márcia cama na buceta e gozando quero ver Márcia acabando a buceta e gozandoconto de genro que come a sogra sem camisinhacontos com a visnha casada escondido oainfância;contos eróticos;enrabadocasada dando o cu no bairro de na casa do ferantecontos eroticos meninacontos eróticos e fetiches paguei boquete no meu irmãocontos eroticos como meu irmao me comeu o meu cuconto de encesto meu pai ficou empotenteContos eroticos minha esposa e o estrangeiroContos erotico fudendo dentro doah e. mist traSado no chuveiroQuero transa com minha prima que estar gravidaSexu.com.busetas.de.7anuscontos de pau grandecontoseróticossobrinha menininhaRelatos de sexo anal com irmãmulher depravadachantageada e humilhada pela empregada negraComtos mae e filha fodidas pelo empregado do maridoConto gay com eu meu pai é pedreiroContos eroticos dois heteros vodkaConto erotico minha irmã gravidacontos pornô casal fudendo com a empregadinhapeguei no pau duro e acabei chupandoconto de o tenente me chupou muito gaycache:GAEDmAeFVBUJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_18319_fodendo-gostoso-minha-paciente.html contos eroticos trepando e marido na sala ao ladoconto porno onde o amante come ate o cu da crente casadacontos chupando o pau do tio da creccontos/ morena com rabo fogosoprimeira vez que fui chupada por um homem casado eu virgemtesudas contocontos gay proctologistaContos eróticos dei pra todos os homens da famíliatraficante comendo a travesti conto eroticoinseseto commforcacontos enrrabadaContos eroticos chamo vitoria dei pro meu cumhadoContos erotico fudendo dentro doDei a um cara que tinha elefantismo no pau contoscontos eróticos do tio malvadocontos eróticos entre mulheres e homens super dotadosesposa fode com doze homenscontos eroticos com animaisConto gay dei meu cu primeira vez depois da farracontos eroticos fui comida feito puta e chingadacontos erotico comi o hetero parte 19contos eroticos marido e esposaminha sobrinha pediu para mim gozar na calcinha dela contos eróticosMe arrumei para meter com.outro e o corno sabendocontos eroticos esposa danadinharelato erotico meu cachorro comia meu cuzinho quando meninacontos eróticos travesti dando o cu para homem do pau grandecontos eroticos presente para cunhadacontos anal no acampamentobumbuns empinados grande com rolas animis tracandomoças peladas passando margarina no corpo inteiro ate no curelatos minha esposa dando a bundinha eu chupando a x******achei que era uma mulherao mas era um travecao que me enganou e socou no meu rabinhocontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos botei um macho pra desvirginar minha filha maecontos eroticos de pai e filho travesti bundudoVem amor segure a rola dele para eu sentar em cima, vem meu corninhocontos de sexo gay insesto depilaçãocontos eroticos fui comida na fazendacontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosContos sogra mulher e cunhadas peladinhas na piscinacunhadinha dando o cu apoiando na mesameu vizinho no meu colo contoscontos fiz tesoura na minha irmanzinha pequenininha e foi gostozocontos eróticos namorada virgemcontos zoo velha carenteMULHER COMENDO O HOMEN COM MAO TODAoma bucetinha linda da sobrinha novinha contoscontos eroticos elizandracontos reais de encoxando a maecontos eroticos sou tarado na sua bundonacontos eroticos minha esposaflavia e dois machoscontos eróticos minha servaquero uma menina cabelos longos escuros deitada na piscinaorando outros peitões da bundona gostosacontos eroticos comendo o cu da vendedora da avonMI MEU PRIMINHO  Contos no cu da tiaAluna colegial Fernanda dando a buceta pro diretorna viajem de trabalho a mulher transa com o chefe e gostou contocontos eu durmo de saia sem calcinhacontos eróticos medindo com meu gordinho