Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMERAM O CU DE MINHA ESPOSA!

Desde que eu e Carla namorávamos ela jamais me permitiu fazer sexo anal. Era sempre o papai-mamãe, algumas vezes um oral um pouco tímido, mas isso me satisfazia pois ela era (e é ainda) o tipo de mulher dos sonhos de qualquer homem.

Juro que era tarado pela bundinha dela. Aliás, todos eram e são. É do tipo "bunda perfeita", não dá para não olhar e ao olhar não dá para não sentir tesão. Claro que por onde ela passa os homens ficam tontos! Se vamos à praia ou à piscina, então, meu deus! Ninguém tira os olhos dela. E ela gosta de se exibir! Não faz a menor questão de esconder o que tem de mais belo. Entretanto, dar que é bom... nada...

Casamos há bastante tempo. Juro que tentei muitas vezes comer seu cuzinho. Tentei de todas as formas e sempre ouvi: "não". Até que me conformei definitivamente e desisti acreditando que estava fadado a levar uma vida de sexo convencional com minha esposa.

Como sou tarado por um cu, sempre que me vinha aquela vontade incontrolável eu ia à zona, procurava uma garota de programa e com ela matava meu tesão de comer cu. Com muito cuidado e higiene pois sempre preservei nossa saúde.

Nas transas convencionais em casa, Carla sempre foi sensacional: uma buceta quente, lisinha, profunda, deliciosa... ela, multiorgásmica nunca se satisfez com uma ou duas fodas. Eram necessárias muitas penetrações, ela tinha que gozar inúmeras vezes para se satisfazer. Por isso nossas trepadas sempre foram longas, às vezes duravam a noite toda ou uma tarde inteira.

Já casados ela aprendeu os prazeres reais do sexo oral e caprichava sempre nos boquetes e se arreganhava toda para que eu metesse a boca e a língua inteira dentro de sua buceta sempre lambuzada de gozo. Perdíamos a noção do tempo quando fazíamos um sessenta e nove, era uma loucura, muitas vezes gozei em sua boca e ela na minha.

Que esposa sensacional! Puro prazer!

Pena que nunca me permitiu sequer tocar seu ânus (era assim que ela se referia ao seu cu). Todas as vezes que eu tentava aproximar meus dedos ou língua ela me evitava.

Mes passado completamos doze anos de casados.

Fizemos uma reunião entre amigos para comemorar.

Tomamos um bom vinho para celebrar.

E quando todos os amigos foram embora notei que Carla estava um pouco alterada pela bebida. Ria alto, falava mole, estava um pouco fora de si. Foi a primeira vez que a vi assim, creio que ela, sempre cuidadosa, errou na dose e se excedeu.

Tomamos banho e na hora de ir para a cama não pude deixar de reparar mais uma vez em sua bunda, redondinha, empinadinha, convidativa...

Naquele momento tive um pensamento que em princípio me pareceu traição, entretanto, pensando bem, julguei que não haveria traição, eu apenas daria a ela um prazer que ela desconhecia. Resolvi por em prática: ofereci mais uma taça de vinho a ela. Não rejeito, tomou-a com prazer. Depois, mais uma, até que ela ficou completamente "grogue"

Foi aí que coloquei em ação minha ideia:

Dizem que cu de bêbado não tem dono. E isso eu queria provar naquela hora.

Com certo cuidado e com muito jeito, disse a ela, sussurrando no ouvido:

-Benzinho, vire sua bundinha para mm...

Ela, com a voz um tanto embargada pela bebida me olhou longamente para depois perguntar:

- Você vai comer a minha bunda, é, seu safado?

Puta que pariu! Vibrei de emoção e alegria! Pelo menos bêbada ela usava uma linguagem que eu gostaria de ouvir: "vai comer minha bunda?"

- Olha, benzinho, vou sá encoxar você, com muito cuidado tá bom? Ajeita a bundinha bem direitinho... assim... assim...

Ela, bêbada, foi se ajeitanto, e eu, claro, iria somente colocar na portinha, nunca iria machucá-la.

- Vem, amor - eu dizia - vem com sua bunda para mim...

Encostei bem o pau no cu da minha Carla e perguntei:

- Viu sá? Não dái nada... nada... está sentindo?

Foi então que ela me disse:

- Isso me dá tesão! Eu quero tudo dentro de mim!

- Olha... pedindo assim, eu sou capaz de botar tudo, de verdade - alertei-a

- Então mete tudo, com gosto, que eu quero gozar muito! - ela insistiu com a voz embargada.

(Está bêbada, pensei - e estava) Mas o que eu não esperava era que, num sá movimento ela iria fazer o que fez: engoliu de um sá golpe o meu pau inteiro ao mesmo tempo que gritava: Come o seu cuzinho, come, mete nele!!!

Mas eu havia errado, tinha enviado o pau na buceta dela, era muito largo pra ser o cu. Tirei, mirei novamente (agora tive certeza de ter colocado no lugar certo, no cu da Carla) e novamente pedi a ela: Vem, tesão, vem devagar, vem sentir o cacete do seu maridinho na portinha do seu "ânus", vem...

E ela veio, com a mesma violência da primeira vez, e novamente foi uma incrível facilidade. Entrou tudo, sem vaselina, sem pomada, sem nada... o cu de Carla simplesmente estava arrombado, era tão largo como sua buceta!

Não me conformei, não acreditei, tirei e coloquei de novo e a cada vez entrava mais fácil. E ela, bêbada, pedia:

- Fode esse cu que está piscando de vontade de ser enrabado... Mete nele, Mete tudo, tudo, tudo... vem, me faz gozar, me enche de porra... põe seu caralho inteiro dentro de mim... (Esse jamais havia sido seu vocabulário, pelo menos eu nunca a havia visto bêbada e, sábria, jamais dissera palavras como "porra", "caralho").

Eu não sabia se estava em estado de choque, se sentia tesão, se gozava, se pedia explicações... não sabia. E sem saber, fui socando, socando, com um misto de raiva e prazer; ela gemendo, gemendo, até que chegamos ao gozo. Quase juntos.

Ela, embriagada, dessa vez não quis saber de gozar várias vezes. Simplesmente virou-se e dormiu.

Passei a noite toda acordado pensando em que dizer a ela no dia seguinte ou que medida tomar. Como era possível! A vida inteira me negando, eu acreditando em sua ingenuidade e no entanto um cu daquela largura!

Ela acordou com enxaqueca, devido ao excesso de vinho. Não tocamos no assunto. Julguei melhor esperar outra oportunidade, talvez mais tarde quando ela já estivesse bem e pudesse conversar.

Parece-me que ela não se lembrava de nada pois não tocou no assunto. Nunca tocou. Passaram-se os dias e, eu sem coragem e ela sem se lembrar de nada (?) não falamos mais a respeito. Fiz de conta que nada daquilo aconteceu.



Depois de um mês usei novamente o "golpe do vinho" e comi outra vez seu cuzinho arrombado. Entrei com meu cacete com a mesma facilidade da primeira vez e dessa vez a fiz gozar muitas vezes. Descobri que ela goza com mais prazer dando o cu do que dando a boceta! Confesso que apesar de não ter vocação para corno, um certo prazer me envolveu, de saber que Carla andava dando o rabo pra algum outro homem, mas, para quem?

Bem, ela sempre pegou carona para a escola (é professora) com o Alcides, um professor de histária, mas pelo que parece ele é gay, pelo menos tem todos os trejeitos... nunca eu havia pensado que ela pudesse... ou que o Alcides pudesse... ou algum outro professor ou funcionário da escola... ou... Sei lá, não sei o que penso. A única coisa que sei é que não fui eu quem arrombou o cu da minha amada esposa Carla. Tenho medo de perguntar. Não quero que ela saiba que eu descobri. Prefiro, de vez em quando lhe dar um vinho e comer o cuzinho que algum outro safado também anda comendo. Quando tento comer com ela sábria, não consigo, ela não deixa. Não sei se ela realmente não sabe o que está fazendo quando bebe e se realmente se esquece depois. Sinceramente não acredito. Penso que ela sabe bem o que faz... Ah, acho que não sei de nada!

O que mais me incomoda nessa histária é que isso tudo sá faz aumentar meu tesão por ela! Cada dia mais! Não me consigo imaginar com outra mulher! A cada minuto que passa me torno mais tarado peco cu dela! Será que essa sensação indica que estou gostando de ser corno? Será que sou corno mesmo? Se for, até quando?

(PS: se você é um marido em igual situação ou se é mulher também em situação semelhante à da Carla, me escreva, me esclareça, divida comigo essa dúvida que já está virando angústia: [email protected])

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


sua amiga eu vou pegar de tras pra frenrecontos eróticos gays perdi minha virgindade com coroa pauzudocontos marido jogandohistoria quadrinho eroticos de sexo na chuva biconto eroticos de assalto com estupro recentescontos foi a melhor foda que tivechaves lambe a buseta de chiquinhavideos mulheres negras coroas de absorvente internovelha cavala virando olhocontos de zoofilia com antasempre dou uma escapadinha contosvídeos pornô Santa Rita taxistacontos eroticos casado medico gordinhoporno produto gruda pinto na bucetacontos encoxando rabos enormesconto de mulher casada crente com filhocontos eroticos aventura em resendecontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cãotomou viagra e meteu na esposacontos eroticos casada comida no assaltocontos eroticos arrombando a gordaminha mulher quer me fuder o cucontos eroticosirmazinhacotos eroticos irmazinha cagado grosoConto porno de meu avo me comeu e papai viucontos eróticos vi minha vizinha dando pro meu cãogay cabaço conto erotico estuprocontos eroticos porra estragoTransando com cunhado na carrinha e meu marido nem percebeucontos eroticos gay meu vizinho negro de dezesseis anos me enrabou quando eu tinha oito anoscontos eroticos coroa abusadachaves lambe a buseta de chiquinhacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos gay banheirocontos eroticos de rabo inocentecontos gay sentou no coloEsposa linda e gostosa buntuda nuaContos eroticos saia rodada e de calcinha fio dentalporno doido em cabines chupando e dando a buceta por buracos de paredesvelha aqueles tempos do capô de fusca bem rapadinhaeu minha esposa e uma puta contoFiquei bebada e com o cu cheio de porracontos eróticos ônibuscontos de pervertidoscontos gorda feiafinalmente o telefone tocou conto erotico cornono assalto meu pai fudeu minha esposa na minha frente conto eroticocontos eroticos arrombando a gordaestuprada por quatro cachorros conto eroticocontos escravizada por chantagensConto safado de esposa putavídeo de homem moreno escuro dando o cu maguinho da bundona com o nome de Pedrolésbicas infia arma gelada na ppk até gozarcomendo ela de saia com vizita discretamentevideos de mulheres mamandoleitee no peito da outraler historia de sexo entre cunhada e subrinhas com tioEstuprada pelos cachorros contos eroticosamo cheirar a boceta da minha esposa pela calçazoofilia dssasporno do irmao que fode a prima de 4minutodcontos de casadas liberadacontoS lambida animal no rabocontos eroticos minhas filhas jeinnyminha tia é demais ela chupa eu gozo e ela continua chupandosonifero filha caçula contoContos eroticos tira a camisinhacontos eroticos arrombando a gordagozaram em minha boca durante a viagemcontos eroticos dentista coroa casada tarada por sexoVizinha gostosa contos Ruivamelhores contos de zoofilia de ituvideos de molhe rosado a buseta na onttra e gozando