Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A SOBRINHA GALINHA

Me chamo Sandro, tenho 32 anos, solteiro e sou louco por sexo. Tenho uma irmã que mora em uma chacara que fica a uns 3 Kms de uma cidadezinha no sul de minas, ela esta largada do marido e tem uma filha linda, linda demais que se chama Paulinha. Resolvi então passar uma semana na casa de minha irmã, liguei para ela e ela ficou muito contente, disse que apesar de não estar de férias eu poderia ficar a semana toda em sua casa sem problema, que a Paulinha me faria companhia. Cheguei numa segunda feira de manhã, minha irmã me recebeu super bem, na hora que vi a Paulinha, fiquei louco ela estava muito mais gostosa, usava uma mini saia, estava com uma anca que parecia mais uma potranca, fiquei louco. Minha irmã logo logo pediu descupas por ter que ir trabalhar e saiu me deixando com a Paulinha. Ela sá me chamava de titio, fez muitas perguntas, me mostrou o meu quarto e eu louco na bunda dela, não tirava o olho, uma coisa do outro mundo. Resolvi então tomar um banho e descansar um pouco da viagem, estava deitado quando ouvi barulho de vários meninos chegando de bicicleta. Eles eram uns quatro garotos, na faixa de 19 e 19 anos. Ouvi quando um deles foi logo perguntando para Paulinha. E aí vamos brincar de pique-esconde? Ela respondeu: Não vai dar meu tio chegou de viagem e esta no quarto dormindo? Dá sim, um bate cara e os outro escondem como a gente fez das ultimas vezes, estamos loucos de vontade. Respondeu um deles. Tá bem, vou ver se o tio tá dormindo e volto logo. Disse Paulinha.

Ela abriu devagar a porta do quarto e eu fingi que estava dormindo. Então eles começaram a brincadeira. Tiraram a sorte para saber quem iria bater-cara.Abri um pouco a janela e deu pra vê, quando o maior deles e a Paulinha entraram dentro de um paiol e os outros foram para lugares direferentes. O que estava batendo cara contou até duzentos, não entendi porque de tanto tempo, saiu depois e começou a procurar os outros meninos, eu não conseguia tirar os olhos do paiol onde estava escondida a Paulinha e o maior deles. O que eles estariam fazendo? Fiquei ainda mais louco quando vi a Paulinha saindo meio que arrumando a saia e os outros meninos já estavam esperando. Ouvi quando um disse, 1, 2, 3 Paulinha e Pedro. Agora é sua vez de bater-cara e conte bem devagar igual eu fiz, não vai relaxar se não eu relaxo contigo da outra vez. Tudo se repetiu como da primeira vez, o que estava batendo cara foi com a Paulinha para o paiol e outros dois se esconderam e outro lugar. Eu não estava aguentando mais de tesão sá de pensar que os caras tavam metendo na minha sobrinha gostosa, ou seja, ela estava se comportando igual uma galinha do rabo torto. E assim aconteceu, com todos os demais, ou seja, todos se esconderam com a Paulinha e com certeza todos meteram nela. Quando o ultimo bateu cara eu resolvi sair lá fora e conhecer os garotos. Paulinha com uma carinha de vadiazinha me apresentou os garotos. Pedro o mais velho e forte, Carlos, Edu e Japa o menor deles, todos eram colegas de escola e como ela disse eles sempre faziam trabalhos escolares juntos e também brincavam de esconde-esconde. Os garotos ficaram meio sem graça com a minha presença e rapidamente se despediram de mim. Paulinha se despediu deles e disse que iria tomar um banho. Os meninos pegaram as bicicletas e foram embora, ouvi quando ela ligou o chuveiro e começou a tomar banho. Esperei ela sair do banho e fui logo perguntando. Você brinca sempre com os seus colegas de esconde esconde? Sim quase todos os dias. Ela me respondeu com a carinha mais sapeca que existia. Amanhã eles vem brincar com você de novo? Vem sim, eles gostam muito de brincar comigo e eu com eles, afinal eu fico muito sozinha aqui e eles me fazem um bem danado.

Ela estava enrolada em uma toalha e passou por mim toda se insinuando e por querer deixou a porta do quarto entre aberta, não aguentei e fui espiar um pouco. Ela estava sá de calcinha, branquinha, tipo asa delta, penteando o cabelo com a bunda linda, gostosa, carnuda virada para o lado da porta, ela sabia que eu estava olhando, entaõ ela se debruçou na pentiadeira e empinou a bunda, não aguentei, fiquei louco, tirei o pau pra fora e bati uma das punhetas mais gostosas da minha vida. Fiquei imaginando o que os garotos haviam feito naquel bundinha maravilhosa.



Se quiserem saber o restante da histária e so lerem a continuação.



































































































































































































































VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


corno no cinema contoscontos eroticos com fotos:nerd pausudo com a casada seriaa bumda que sempre sonhei comeTraicao minha namorada safada vendo pinto dele contosContos eróticos GAY AHHH VAI ASSIM OHH VOU GOZAR VIADO OHHconto fizemos um trenzinho.guarda noturno maduro conto gayconto erotico incesto sonifero filhaconto erótico garota da academia bombado no jumentoacordei com um boquete contos eroticoContos eróticos de rabudas casadascomi minha priminha loirinha da bundinhadeliciosacheirei o fundinho da calcinha usada da minha tia safada contoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteminha vizinha me provoca com ssu rabão depoids olha para traz para ver se to reparandoCU arrombado ABERTO madrasta contominha cunha deixou eu pega mos peito delacontos eroticos mulher dopada e fudidaolha o pezinho dela todo gozadinhocontos eroticos mais quer gostosa eu comicontos eroticos, ele me humilha me bate me xingacontos eroticos papai 40 amigas i eu arrumacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos esposa na de bronzearmenina de menor fazendo filme pornô com minha Duducontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteminha filha camila contos eroticosContos erotico mim fantaziei de cachora para meu filhocontos tiachupa rolaConto erótico meu nome é Lucinda preucupada com a saúde do meu filho esposa amiga escrava conto eroticocontos eroticos arrombando a gordaconto d patricinha c o borrscheirocontos de travestis comendo os patroesgozei gozou dentro dormia contosconto erotico defia um diero comi ela pornocontos eroticos incesto fudendo minha filha com meu melhor amigomamei até os bicoes dela incharem contoshomem maduro contando porque deu o cutroca de namoradas contos eroticosconto erotico meu cunhado fez meu cu sair sangueminha tia travesti contoscontos eroticos casal voyeur sem querercontos eroticos mae desnaturada 2porn contos eroticos enteada gangbangcontos eroticos arrombando a gordaconto fazenda com mamaecontos reais tia cuzudaComo me tornei a cadela do meu padrato contos eróticoContos eroticos peguei meu pai nao aguentou e chupou minha bucetavi minha irmazinha de caucinha nu rabo ve contos eroticoscontos eroticos comi o cu da minha vizinha mendigacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteúltimo contos anal de sobrinhasempre fui safadinha contos nossa minha mae bu comer xvcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos eroticos gays meu irmao comeu meu cu a forçacontos esposa rebolou para,amigoconto porno tia do amigo bebadacontos zoo meu marido sem eu saber viciou o cao passando minhas calcinhas para ele cheirarContodeputacontos eroticos empregada pegando no pau do menino novinhoconto engravideu minh sobrinhaTirei o cabaço da minha entiada e sua mae a ajudou para nao doer muitoo massagista mete de surpresa na cliente que se espantatiraram a roupa da esposa contoconto eróticos de mendigo arregaça bucetacontos eróticos esposa amanheci toda melada"cabelo na perereca"passei de fio dental na frente do meu cunhado:contoConto gay com eu meu pai é pedreirocontos eroticos da minha tia amadorasContos minha doce sobrinha mel