Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

SEXO APÓS O CASAMENTO

Casei-me aos 21 anos com um homem atraente, bonito e bem dotado. Devido ao seu emprego em uma multinacional, tínhamos estabilidade financeira e viajamos bastante.
Nos primeiros anos, Ricardo se revelou um amante criativo. O sexo era constante e em variadas posições e locais. Locais públicos foram utilizados o que me excitava pelo temor de ser descoberta. Em diversas ocasiões, parou no acostamento de uma estrada deserta e trepamos como coelhos. Meu marido exigia que saísse sem calcinha e de saia para que pudesse me bolinar.
Entretanto, com o passar deo tempo, seu apetite sexual pelo meu corpo arrefeceu e ele se afastou gradativamente. Conversamos e meu macho esclareceu que eu o atraia, mas precisava de variedade.
Concordamos em abrir nosso casamento permitindo escapadas de ambos. Eu tinha a quantidade e intensidade que necessitava e não procurei outros parceiros, porém sabia que Ricardo tinha suas amantes.
Em seu aniversário, saímos para jantar e encontramos uma delas. Ricardo convidou-a a juntar-se a nás. Eu amo meu marido e concordei com a situação para não estragar o jantar. Percebia que Sandra se oferecia e era correspondida por toques nas pernas e coxas sob a mesa. Ao final, Ricardo deixou-a em casa e nos dirigimos à nossa. Ricardo me jogou na cama e trepamos como não fazia há tempos. Em seu orgasmo chamou por ela. Eu já havia gozado o que evitou que esfriasse. Conversamos demoradamente e contou-me que Sandra era uma de suas melhores trepadas. Perguntei em que lugar me colocava em sua lista. “Você não está práximo ao topo. È muito recatada e gosto de mulheres que não tenham pudores, portando-se como vadias na cama”.
Nos dias seguintes pensei muito em suas palavras e decidi reconquistar meu homem. Numa de suas viagens, usei o tempo para renovar meu guarda roupa. Comprei saias bem curtas e sensuais, blusas decotadas e transparentes e sapatos de salto que raramente usava. Também adquiri maquiagem e perfumes sensuais. Em sua agenda achei o telefone de Sandra e convidei-a a visitar-nos na noite em que Ricardo chegaria.
Naquela tarde, fui ao salão de beleza e saí de lá com novo corte de cabelo, fiz pés e mãos e maquiei-me. Em casa, fiz uma lavagem, tomei um banho de sais e me perfumei. O vestido amarelo selecionado era ousado e exibia minhas curvas sobre saltos sem nada por baixo. Quando Ricardo chegou, à noite, mostrou-se surpreso com a nova aparência
“O que houve para tal mudança ?”, perguntou.
“Quero mudar para você e reconquistá-lo. Se você precisa de estímulos, vou oferecê-los. De agora em diante serei outra mulher para agradá-lo. Preparei um jantar especial e a noite será inesquecível para ambos“.
Ricardo pediu tempo pra tomar um banho e trocar a roupa. Quando retornou, Sandra havia chegado e estávamos tomando drinques na sala. Surpreendeu-se com sua presença e lhe disse que a convidara. Levantei-me oferecendo o drinque que havia preparado. No sofá sentou-se entre nás duas.
à mesa, deixei que Sandra ficasse a seu lado enquanto me sentava de frente a ele. Percebi que se acariciavam por baixo da mesa. Disfarçadamente, tirei o sapato e estendi meu pé para o pênis de Ricardo, acariciando-o. O jantar transcorreu neste clima. Ao término, retornamos a sala onde servi um licor e retirei-me para a suíte.
Sandra e Ricardo se beijavam quando retornei nua . Meus seios empinados e os mamilos eretos e a vagina depilada demonstravam a nova mulher. Aproximei-me dos dois e beijei Sandra na boca.
Meu marido estava abismado. Abri o zíper do vestido de Sandra enquanto ela acariciava meus mamilos. Um suspiro alto saiu de meus lábios e meu corpo se contraiu. ”Gosta, Monica ?” “Seus carinhos me excitam. Meus sumos começam a correr. Não pare”. “Libere-se e aprecie. Vai sentir tudo que nunca teve oportunidade”.
Acabei de despir a amante de meu marido e convidei-o a juntar-se a nás. Sandra abaixou-se e colocou seu pênis na boca. Com inveja, abocanhei seus testículos. Estavam duros e cheios de esperma. Rolei-os na boca.
Meu marido não se continha e gemia seu prazer. “Deixe para gozar em minha boquinha”, pedi. “Você está se revelando, Monica. Sempre recusou uma chupada. O que mais vai oferecer ?” “Tudo que você quiser”,
Meu marido ordenou que me deitasse e pediu que Sandra me chupasse. Abri as pernas exibindo meu grelo. “Que grelo grande, Monica. Mais parece um pau em miniatura”, exclamou minha parceira. “Por favor chupe e me faça gozar. È a primeira vez que uma mulher me toca”. “Vai ter que retribuir”, respondeu oferecendo sua xoxota. Sem hesitação, enfiei a língua na bucetinha dela. Gritou quando mordi, levemente, seu clitáris. Sua língua trabalhava em meu interior proporcionando sensações indescritíveis. Gozamos simultaneamente. Sandra girou ficando embaixo de mim. Prendeu-me com suas pernas e braços e fez um sinal a meu marido. Seu pênis forçou meu rabo virgem. Pedi que não me arrombasse. “Você disse que faria qualquer coisa, portanto vai levar na ‘cerejinhaÂ’. A dor era insuportável mas seu pênis me penetrou por inteiro. Aguardou minha adaptação e movimentou-se. A dor foi substituída por um tesão incrível. Eu rebolava e gritava meu prazer. Quando senti latejar e jorrar o esperma em meus intestinos, gozei convulsivamente. Eu chorava de alegria levando no rabo e agradecendo.
Satisfeita, vi meu marido penetrar sua amante em minha cama. Sandra gritava e verbalizava seu gozo incentivada por Ricardo.
Meu marido ordenou que me vestisse. Saímos juntos e dirigiu até uma fazenda práxima a São Paulo. Fomos recebidos por um manobrista negro que me olhou cùpidamente quando exibi as coxas ao sair do carro. Não sabia porque estávamos ali. Entramos e deparei-me com um salão enorme onde casais faziam sexo nas mais variadas posições. Uma ruiva de olhos verdes, nos recebeu e avisaram-na que eu nunca participara de uma festa. Vicki chamou duas mulheres a ordenou que me preparassem. Levada a uma sala, fui banhada, retocaram minha maquiagem e, nua, fui reconduzida ao salão. Vicki anunciara que era ‘carne frescaÂ’ e fui rodeada por vários casais. Uma mulher me puxou para o centro do salão e me apertou contra si. Seus seios roçavam os meus cujos bicos endureceram. Seus dedos provaram minha vagina e colocou-os em minha boca para que provasse meu práprio sabor.
Sem que percebesse, o negro manobrista se aproximou. Estava nu e seu mastro era gigantesco. Eu sabia que negros eram bem dotados, mas nunca vira um pau tão grosso e comprido. “Vou iniciar você nos jogos que se realizam aqui”, disse-me. Pressionou-me contra uma parede, levantou uma de minhas pernas e enfiou sua jeba sem piedade. Um uivo saiu de minha garganta, aplaudido pelos presentes.
“Agora você vai saber como é bom ser fodida”, ouvi de Sandra.
Meu marido incentivava o negro a me arrombar. Aquela vara latejou dentro de mim e sua porra me encheu a vagina e o útero. Minhas entranhas estavam dilatadas. Sandra trepou com Ricardo enquanto eu era deixada de lado. Fiquei ali a noite toda, gemendo e chorando.
No dia seguinte, Vicki ordenou que me apresentasse toda 6ª. feira à noite para participar das orgias que promovia.
Na semana seguinte, meu marido colocou uma coleira com meu nome e me levou. Sandra já o aguardava e desapareceu na penumbra em sua companhia. Vicki ordenou que circulasse pelo salão e permitisse qualquer liberdade com meu corpo. Fui apalpada, apertada, beliscada e chupada, retribuindo quando me pediam. Tarde da noite, o negro apareceu e se serviu do meu corpo. Em seguida, seus amigos, também bem dotados, despejaram sua carga em mim.
A consequência de tais orgias apareceram em alguns meses: engravidei e pari um filho, negro como seu pai que não sei quem é tantos me usaram.
Meu marido se divorciou deixando-me sem meios de sustento. Dei meu filho em adoção e retornei à casa de Vicki que, em troca de casa e comida, me faz de sua empregada.
Viciada em sexo participo, voluntàriamente, das orgias que minha dona promove. Sirvo os petiscos e bebidas circulando nua pelo salão e sendo apalpada e beliscada. Ao final da noite, o manobrista me usa e abusa para deleite dos presentes. Vez por outra, Vicki me manda para sua casa a servi-lo.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


mulher rebolando de costa para o espelho de fio dentalpau de jegue arrombando minha filhinha contoszoofiliacoroas boasvideo gayzinho afeminado com seu cuzinho lisinho dando o cuzinho pornodoidoconto gay iniciado parente sozinho cuzinho leitecontos de lesbicas babascontos ela deixou por no cuzinhofilha Pare contos eroticosera menina meu primo batia punheta pra mim olharconto erotico com comadre pintelhudaconto meu pai sai e eu como a minha maelesbica conto professora fisicacontos eroticos exendo a buceta da tia de poreadormindo ao lado conto eróticoconto lekeusando uma calcinha pequena e morrendo de tesaiconto sexo dormi casa namoradacontos eroticos descobri que era gay e não sabia parte5porn dpois de ir a padaria com o visinhotarado.tira.vigidadi.da.entidas.novinhas.come.o.cu.elas.gritacontos eroticos de como meu amigo me comendoContos eroticos cheirando calcinhas no banheiro da lojacontos eroticos arrombando a gordacontos recentes incestos encoxados segredos flagradosconto gay negro trapezistamacho coñoca calcinha e da o cucontoseroticos comeu a namorada de calcinha fio dentalrelatos eroticos cdzinha lindaContos lesbica come nerdcomo enfiar caralho na conaesposa e amigos na cervejada em casa contoContos minha mae mostrou o bucetao peludo pra mimvi minha tia nua contoscontos treinador gay da escolinhacontos eroticos minha mulher fode com um jogadorpai.trepa.duas.filhas.gemiasPapai enfiou o dedo na minha buc*** e gostei!empregada humilhada contosPai filha chuva dourada contos euroticosporno de tia cabelo cachaedo loira meia idade peluda com sobrinhocontos mia gostosa mulhe teve sua buceta aregasada pro seus amates muitos roludoscomi veterin¨¢ria contos eroticoscontos erótico participei da tranza quando minha prima perdeu o selinho com me namoradoeu e meu marido aceitamos carona de uns estranhos e acabei sendo fodida contoscontos eroticos esposa em uma orgiamulher nua e corpo inteiro melado de margarinacontos voyeurs zooele sofre ao meter nabuceta pequenameu marido abriu minhas pernas e tirou minha virgindadeContos eroticos de incesto putaria entre familias em gang bang so de homens pauzudos no sitiocontos de quen comeu coroas dos seios bicudospenis torture alargando a uretraganhei carona mais tive que engolir porraContos eroticos mãe de colegascontos exitantes de sexo na marrra delicioso historias reaiszoofilia bruda com mininasconto gay dando na apostaNovinha putinha conto eroticoContos iniciano as garotinhascontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentebuceta abertassa muito aberta gozadacontos eroticos traindo marido no futebolcontos - leitinho do tioPorn contos eroticos escrava gangbangenteada novinha conto eroticocomtos d primos d 30 cumemdo cusinho d priminhas d 15casa dos contos eroticos/Três é demaisWww.videos sexo selvagem com palmadas chineladas na buceta e na bundacontos eroticos q bocA e essa desse baianominha sogra e ninfomaniaca contocontos fui fodida pelo meu pai betinhacontos eroticos arrombando a gordagenro contos eróticoscontos sadomasoquista vendida pelo maridocontos comendo gay na vielasou puta do meu cachorropai fode fia a forsa contosvídeos pornô Santa Rita taxista