Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DOMINAÇÃO EM FAMÍLIA

Eu morava em um sobrado, embaixo as garagens e no primeiro andar meu apartamento e finalmente no segundo e último pavimento morava minha prima, Vanessa, que na época tinha 34 anos. Tinha um terraço em cima do apartamento dela. Era herança de família, ela herdou um e eu o outro e morávamos sozinhos, cada um no seu canto e tocando a vida.rnrnEu era solteiro e sou até hoje, já Vanessa era divorciada, havia engravidado aos 19 anos e para satisfazer exigências familiares eou agradar a sociedade ou até porque queria mesmo, se casou com o pai de sua filha. Seu casamento foi muito tumultuado até porque ela era inexperiente e o pai de sua filha, 5 anos mais velho que ela, não era o que se poderia chamar de ?o maridão?.rnrnA separação veio até que tarde demais considerando o que ela sofreu com ele, o que fez com que Vanessa nunca mais se casasse.rnrnVanessa trabalhava em um banco, emprego que conseguiu aos 21 anos de idade, ainda quando era casada. Apás largar o marido e criando a filha sozinha fez faculdade de psicologia e embora nunca tenha exercido a profissão isso teve uma grande utilidade para ela.....e como!rnrnA filha de Vanessa, Camila, na época com quase vinte anos morava em Belo Horizonte. Muito inteligente havia passado em um concurso público e conseguido um bom emprego, mas isso lhe custou ter que morar longe de Vanessa que não tinha vontade e nem possibilidade de se mudar do Sul de Minas, logo elas se viam com pouca frequência embora se falassem por telefone regularmente, geralmente era Camila quem vinha visitá-la uma ou duas vezes por mês, sempre em finais de semana ou feriados.rnrnVanessa não era exatamente linda, mas estava longe de ser uma mulher feia. Ela era interessante. 1,65 de altura, 60 quilos, seios médios e firmes, bunda proporcional, cabelos negros um pouco compridos, pele mais clarinha, pernas dentro da média e pés maravilhosos!rnrnVanessa tinha extremo bom gosto para se vestir e mais ainda para calçar. Usava sempre sandálias bem delicadas e de tiras fininhas que deixavam seus lindos pés à mostra. Ela sempre usava esmaltes clarinhos e nas horas informais adorava um chinelinho de borracha sempre de cores escuras que contrastavam com sua pele clara.rnrnJá Camila desaparecia perto da mãe, pelo menos para o meu gosto. Era sem graça e para mim desprovida de interesse, meu foco era Vanessa pelo conjunto todo.rnrnEu trabalhava o dia todo e Vanessa também, às vezes cruzávamos nas escadas do sobrado, que para nás era um mundo. Os apartamentos eram grandes espaçosos e com boa privacidade. Nosso relacionamento era o normal entre primos, uma conversa aqui, outra ali e a vida ia seguindo. Vez por outra Vanessa me pedia para consertar uma torneira que pingava ou para trocar um chuveiro e outras coisas afins que estragam em casa.rnrnVanessa raramente recebia visitas e era muito caseira. Trabalhadora como sempre foi, fazia faxina em seu apartamento sozinha nos fins de semana e dividia comigo a tarefa de limpar as áreas comuns do prédio como as escadarias que lavávamos juntos com boa frequência e também as garagens e a calçada. Nessas ocasiões, sempre em dias de sábado, ela usava um short mais curto, uma blusinha mais gasta dessas de usar em casa mesmo e um par de chinelos de borracha que deixavam seus lindos pés 37 bem à mostra. Eu sempre observava seus pés nessas e em outras ocasiões. Sempre!rnrnNum desses sábados terminamos a faxina nas áreas comuns do prédio e Vanessa me perguntou se eu não me importava de ajudá-la a lavar o terraço do seu apartamento. Ela nunca havia me pedido esse favor antes e eu me prontifiquei a ajudá-la, mas achei um pouco estranho mas isso seria mais uma oportunidade de observar seus pés que naquele dia estavam com as unhas pintadas com um esmalte translúcido, lindo!rnrnNão sá os pés de Vanessa eram lindos como também as mãos não ficavam atrás e eram muito bem cuidadas, mas os pés.....eram demais!rnrnRecolhemos os apetrechos e subimos as escadas passando pelo seu apartamento até que finalmente chegamos ao terraço que nem estava com aparência de estar sujo.rnrnComeçamos a lavar a área e pouco tempo depois Vanessa se voltou para mim disparou:rnrn-Pensa que eu não percebo mas você tem um forte fetiche por pés femininos, estou certa?rnrnFiquei pasmo e sem reação, senti meu rosto esquentar e ficar vermelho.rnrnVanessa então não se fez de rogada e disse:rnrn-E olha que isso é apenas a ponta do iceberg, tem muito mais coisas por trás disso, sabia?rnrnFiquei pasmo! Ela havia descoberto meu segredo! E agora?rnrnDesconversei perguntando se queria que eu esfregasse o chão mas ela foi insistente e disse:rnrn-Por que você não se abre comigo? Eu sou sua prima, sua amiga e posso te ajudar. Por que não confia em mim?rnrnFiquei atordoado e disse que precisava ir embora mas ela me segurou pelo braço e disse que eu precisava de ajuda e me puxou delicadamente para descermos a escada que levava ao apartamento dela.rnrnUma força me mandava fugir mas outra me conduzia a ceder.rnrnChegamos na cozinha e ela me mandou sentar.rnrnVanessa então puxou uma cadeira e se assentou na minha frente e disse:rnrn-Eu sá quero te ajudar. Se você gosta dessas coisas eu sei que não tem como te obrigar a ceder e a rejeitar seus desejos. Você tem que se abrir e sá assim será feliz.rnrnEla ainda disse mais:rnrn-Eu estudei psicologia e sei que a tara por pés femininos está relacionada com outros desejos também. Por que não se abre comigo?rnrnEu estava sem reação e não dizia nada, nada mesmo e não conseguia encara-la, sá olhar para o chão e ironicamente para os pés dela..rnrnVanessa então colocou a mão nas minhas mãos e disse:rnrn-Pode confiar em mim, não vou dizer nada a ninguém, juro.rnrnEla ainda foi além:rnrnOlhe nos meus olhos, disse ela.rnrnComo eu não a atendi ela delicadamente levantou o meu rosto e finalmente eu a encarei. Ela estava com uma fisionomia tranquila, terna, quase maternal e me disse:rnrn-Eu sá quero que você seja feliz, sá isso, mas não depende sá de mim.rnrnE ainda completou:rnrn-Você quer ser feliz?rnrnEu balancei a cabeça afirmativamente.rnrn-Vanessa então me disse quase chorando:rnrnEu posso te fazer feliz, isso não me custa nada e eu estou sozinha e ninguém precisa e nem vai saber de nada.rnrnEla então me perguntou:rnrn-Você gosta de pés de mulher?rnrnEu balancei novamente a cabeça mas ela disse que queria ouvir de mim e eu disse em voz baixa que sim.rnrnAinda ela:rnrnVocê gosta dos meus pés?rnrnRespondi que sim, muito.rnrnVanessa então perguntou do que mais eu gostava e disse que sá isso.rnrnDaí então ela disparou:rnrn-Se mentir para mim não vai ter nada. Pode se abrir comigo.rnrnEu nada falei.rnrnVanessa então disse que iria facilitar minha vida. E perguntou:rnrn-Você gosta de apanhar de mulher? Gosta?rnrnDisse que sim.rnrnEla perguntou se eu gostava que a mulher me obrigasse a usar coisas de mulher e eu disse que sim.rnrn-E de ser xingado, humilhado, você gosta?rnrnRespondi que sim.rnrnSer dominado pela mulher, gosta?rnrnSim, respondi eu.rnrn-E do que mais gosta? Perguntou Vanessa.rnrnSá isso, eu falei mas ela disparou que tem homem que gosta disso tudo e também de ser comido pela mulher e perguntou se eu gostava. Demorei a responder mas ela insistiu eu assumi que gostava de inversão mas disse a ela que apesar de gostar nunca tinha feito nada disso com ninguém e que eu tinha vontade de fazer sá com mulher.rnrnVanessa então olhou fixamente nos meus olhos e com um sorriso disse:rnrn-Você não tem culpa de gostar dessas coisas e pode ser feliz assim e mandou eu me ajoelhar e beijar e lamber os seus pés. Nessa hora meu pau ficou tão duro que quase não aguentei de tão dolorido que ficou.rnrnBeijei, lambi seus dois pés incluindo a sola, os dedinhos e fiz isso demoradamente e sá parei quando Vanessa falou que já estava bom por hoje e que eu estava lambendo seus pés fazia meia hora. Ela disse isso dando uma risadinha.rnrnVanessa reparou no volume na minha bermuda mas não fez nenhum comentário sobre minha dolorida ereção.rnrnEla então me abraçou com ternura e sussurrou no meu ouvido que ia dar tudo certo entre nás.rnrnVanessa preparou um café e disse que nossa conversa iria longe ainda.rnrnConversamos com mais detalhes sobre as fantasias que eu tinha e sobre as nossas regras de realização que foram ditadas por Vanessa.. Foi mais duas horas de conversa, agora de forma mais descontraída e com detalhes mais picantes. Ninguém saberia de nada e inclusive trocaríamos o cadeado da garagem pois sua filha tinha a chave e poderia chegar de viagem de surpresa e nos pegar no flagrante.rnrnVanessa então disse que deveríamos terminar a faxina no terraço e assim fizemos. Depois desci para meu apartamento ainda com o pau duro e me matei de me masturbar e ainda sem acreditar no que tinha acontecido naquele dia e no estaria por vir.rnrnPassaram-se 3 semanas e a vida seguia na rotina. Eu vez por outra cruzava com Vanessa nas escadas do sobrado e nossa reação era normal mas eu agora olhava para seus pés sem medo ou receio e ela sempre percebia e dava um sorriso.rnrnMais duas semanas e chegou o aniversário de Vanessa e eu lhe dei uma linda sandália de marca com as tiras fininhas que ela adorou. Mas até aquela data nenhuma novidade até porque nas nossas regras não falaríamos mais sobre o assunto.rnrnVanessa então recebeu num final de semana uma rápida visita de sua filha, Camila. Ela chegou numa manhã de sábado e foi embora na noite do domingo. Isso certamente deixou Vanessa mais à vontade pois no sábado seguinte à noite meu telefone tocou. Era ela! Sua voz estava um pouco mudada e ela mandou eu subir para seu apartamento que estava com a porta aberta. Um detalhe: eu deveria subir completamente pelado! E não deveria demorar para fazer isso.rnrnFiz como Vanessa mandou, retirei toda a roupa e subi a escada. Estava um pouco frio e eu sentia um pouco de medo.rnrnEntrei na sala e Vanessa estava sentada, de espartilho e cinta-liga e calçando uma sandália de salto médio. Ela estava um pouco diferente e mandou eu me ajoelhar e beijar seus pés e assim eu fiz. Em seguida ela disse:rnrn-Jéssica (esse era o nome pelo qual ela me chamaria quando fosse me dominar) sua putinha vadia sem vergonha em siga.rnrnAcompanhei Vanessa até um dos quartos e ela me xingava de vários palavrões e olha que seu repertário era vasto.rnrnNo quarto havia uma calcinha preta sobre a cama e Vanessa me mandou vestir. Fiz o que ela mandou e até que ficou bem em mim, servindo bem. Era um modelo bem putinha mesmo que deixava boa parte da bunda à mostra.rnrnEla então me mandou ficar de pé e apoiar os braços em uma cômoda que havia no quarto.rnrnVanessa então falou:rnrn-Jéssica sua vagabunda sem vergonha agora você vai ver o que faço com vadias como você.rnrnO interessante é que Vanessa xingava e falava obscenidades com a voz em tom normal e sem se alterar e isso me dava um tesão enorme!rnrnEla então colocou uma venda de tecido preto nos meus olhos, fiquei às cegas e sem saber o que aconteceria.rnrnDe repente um estalo na minha bunda e mais outro em seguida.rnrnEntre uma e outra chinelada e olha que a mão de Vanessa era pesada, ela me xingava e dizia que iria me corrigir pois eu não estava me comportando bem.rnrnForam muitas chineladas, umas 60 ou 70 e cada uma delas com um intervalo para ela me xingar e ela alternava entre uma lado da bunda e outro.rnrnDepois disso houve uma pausa e Vanessa me mandou ficar como eu estava e assim fiz e logo percebi que ela se afastou mas logo voltou.rnrnOutro estalo na minha bunda e dessa vez logo notei que era uma pedaço de mangueira de jardim. Foram poucas lambadas, umas 6 ou 7 e a dor é diferente do chinelo de borracha. Vanessa tinha em mente que eu era um iniciante e também eu já estava com a bunda toda ardida por conta das chineladas.rnrnVanessa então disse:rnrn-Agora a putinha vadia da Jéssica vai ter o que merece.rnrnOuvi o ruído de uma gaveta se abrindo e logo em seguida se fechando. Logo ela retirou minha calcinha e mandou eu afastar as pernas. Nessa altura meu pau já estava duríssimo e até doendo de tão duro.rnrnVanessa então lambuzou a entrada do meu cu com algo gelado e escorregadio e logo em seguida disse:rnrn-Agora vou comer o cu da putinha da Jéssica vadia.rnrnComecei a sentir algo na entrada do meu cu e que devido ao lubrificante foi lentamente entrando e provocando uma deliciosa sensação de prazer.rnrnLogo percebi de se tratar de um plug anal e que era bem grosso pois Vanessa o enfiou até passar a parte mais larga e depois retirou e enfiou novamente e colocando mais gel para facilitar. Ela fez isso inúmeras vezes num vai-e-vem delicioso e que me deixou com o cu completamente arrombado.rnrnVanessa mandou eu ficar quieto onde estava e se afastou por algum tempo e de repente ouvi sua voz perto de mim novamente sem perceber que ela tinha voltado.rnrnOs xingamentos não paravam, sempre com voz calma e sacana. Mas o que aconteceu em seguida foi inesperado.rnrnVanessa mandou eu me virar e me ajoelhar, como eu ainda estava com a venda nos olhos ela me guiou com suas mãos macias e delicadas.rnrnMe ajoelhei e então ela retirou a venda e a visão que tive foi maravilhosa! Ela estava completamente nua, inclusive descalça na minha frente!rnrnVanessa então falou:rnrn-Jéssica sua putinha vadia lambe sua Dona, lambe vagabunda!rnrnComecei a lamber e beijar seus pés que estavam impecáveis, fui subindo pelas pernas até chegar na sua buceta que estava totalmente depilada e escorrendo um mel doce e perfumado. Comecei a lamber seu grelo e fui descendo até na entrada da sua buceta colocando a língua na entradinha da xana de Vanessa. Eu engolia seu mel delicioso. Ela gemia baixinho mas a intensidade dos seus gemidos foi aumentando até que ela não se aguentou de pé e deitou-se na cama. Eu então continuei a lambe-la sem me esquecer dos seus seios também.rnrnMeu pau estava duríssimo e voltei a lamber a buceta de Vanessa até que a intensidade de seus gemidos aumentou e ela explodiu em um gozo alucinante.rnrnEu não me fiz de rogado, não aguentando mais passei e esfregar meu pau nos seus pés até que gozei violentamente entre seus dedinhos e a sola de um dos pés de Vanessa.rnrnApás alguns poucos minutos Vanessa se recuperou do gozo e se levantou e me deu um selinho na boca e me puxou para o banheiro onde tomamos um delicioso e demorado banho juntos, logo em seguida ela me levou até a cozinha onde tomamos um delicioso lanche que ela havia preparado e em seguida ela me convidou para dormir com ela e assim entramos debaixo de um gostoso ededron bem quentinho completamente pelados e dormimos abraçados.rnrnApás essa iniciação e durante quase 3 anos realizamos as nossas fantasias juntos e sem ninguém saber mas chegou o dia em que ela se mudou e foi morar com a filha e tudo terminou.rnrnProcuro mulheres dominadoras, com ou sem experiência, do Sul de Minas, região de Varginha. Tenho 40 anos, solteiro e sem filhos, bem apessoado e sigiloso para realização de fantasias ou algo mais sério. Gentileza escrever para: [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


ler contos de sexo de mulheres sendo chantageada na estrada e dando cuzinho pra dotadosCercada por varios contos eroticoscontos erotico dormindocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos er matagalLuizinho meninos novinhos um transando com outro pela primeira vez de dois primos transando comContos eroticos levei de um activo negrocontos eróticos gay meu meio irmãoCArnaval Antigo com muinto trAveco fazendo surubacontos eroticos padrastodesfilado de calcinha por dinhero contos eroticocontos eroticos meninavoyeur de esposa conto eroticocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos de incesto deixando a irma com ciumesContos her¨¦ticos incesto comi minha m 0Å 0eContos eróticos bunda muito grandecontos eroticos arrombando a gordaconto erotico de fui comida pelo amigo do meu esposo insperadamentevoyeur de esposa conto eroticocontos sadomasoquista vendida pelo maridohega gotosarola de meu pai conto gaymedica seduzidapor lesbica historiasContos eroticos gays meu irmao comeu meu cu a forçaLóira safada narra conto metendo na coberturaconto erotico desconfiei de minha esposafiz sexo com meu cachorropeguei meu pai comendo meu amigo conto eroticoContoseroticoscomsogrocontos eroticos com coroas no cinema pornocontos de pervertidoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos viagem casal praia toplesshestoria erotica do meu marido e c corminhocontos eróticos irmãos paiadoro andar sem calcinha contoscontos eroticos comi minha prima no rodeiovideo de travesti tirando a virgindade e fazendo elas gozormendingo contosem cadastro zoofilia sai mijando leiteContoseroticos estuprando Vitóriagostosa dando a b***** pela metade de mim loucamentecontos com fotos flagrei meu marido com a viúva do vizinhocontos eroticos taradinhasa primeira vez que transei com dois homensconto de o tenente me chupou muito gayvendi a buceta/contocontos eróticos comendo cuzinho da gordinhaquero ver contos eroticos entre irmao comendo o cu de suasContos dois na minha mulhervídeo de mulher conto dar o cu ele micha de dorcontos eroticos de pijaminha provocandoContos erotico amei a fantasia de meu marido mim fode com a pica dele e um penes de borachaContos de sexo virgem dor extrema membro grosso teen incestoContos eróticos de incesto filhinha caçulinha dando em cima do paimeti o pau todo sem ela aguenta mas entrou parte1contos anal tio dotado tirou avircontos excitantescontos de corno surpresa e flagra na minha esposaContos eroticos da esposa safada com o marido deficienteContos eroticos meninas x gorilasFilmei minha chupando estranhos na porta do carropornô com cavalos mangalarga fazendo com mulheres no cavaletehome dar cu usano calcianhaContoseroticoscavalocontos no orfanato gayconto eroticos minha irma de vestido rosarelato erotico chupei a calcinha da minha tiaainda havia dor mamilo grande e pontudo vídeo pornôgays coroas do bairro agua verdeconto erotico minha prima malvadae Deus que cavalo inteiro transando ai ele tem pinando amolecer botar a mão na orelha Ela empinaputinha desde novinha contos eroticoscontos eroticos porno de pirralhas inocentescontos eroticoc de senhoras casada se vingando dando o cu pra negoescasalnacamatrepandocontos eróticos infânciaContos a calcinha da garotinhaconto erotico viado afeminado escravizado por macho dominadorempregada é chatagiada pelo patra e tem qui sar a bucetacontos eroticos menina de 07anos dando a xaninhame masturbei vendo as calcinhas da vizinha no varalContos com cadelascontos gays sendo o viadinhos dos adultos que me humilhavamContos comi minha mae gostosa na piscinacontos eroticos de casada no hospitalVizinha gostosa contos Ruivameu pai chupou minha bucetinhacontos reais seduzindo com roupa o cunhadocontos eroticosirmazinhacasa dos contos marido pede para esposa por uma sainha bem curta e.provocaplanta sexo chupa seio gozoconto erotico viado afeminado escravizado por macho dominadorfidendo uma nnda gigabte carnudacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erotico quer virar corno?