Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

AMIGA DO TRABALHO 1

Tenho 34 anos e vou contar uma aventura que estou tendo com uma amiga do trabalho.rnRosane é o que se pode dizer de uma mulher fiel, com seus princípios religiosos, madura, amiga, bem humorada e acima de tudo muito gostosinha.rnCasou há pouco mais de 2 ano, apás um longo namoro. Seu marido até então desconhecido, a não ser por poucas ocasiões de encontros esporádicos, nunca me pareceu alguém capaz de conduzir aquela delicia de mulher ao altar, mas conseguiu.rnTrabalhamos há cerca de 6 anos juntos, sempre tive uma queda por ela e apesar das insinuações e até mesmo de algumas provocações, ela sempre se esquivava no final e disfarçava levando tudo na brincadeira.rnEla é magrinha, pequena, com seios grandes, o que chama muito a atenção dos homens, que são loucos para apertar e chupá-los. Tem uma bundinha pequena, porém de salto ficar super arrebitada, pele branquinha, cabelo castanho claro até a altura dos ombros e um belo sorriso.rnHá exatos 4 anos que eu dou em cima dela, sem obter sucesso algum. Somente fico nas provocações e insinuações e logo ela fala do marido, da vida de casada, de religião o que acaba broxando.rnPorém há cerca de 4 meses atrás, pela primeira vez nesses anos, surgiu o convite para que eu fosse ao seu aniversário. Na sexta-feira fomos em grupo, com o pessoal do trabalho, para um barzinho e ficamos bebendo e jogando conversa fora. Nada pude fazer ali, mas como é caminho para a minha casa ofereci uma carona e ela aceitou como já havia feito inúmeras vezes.rnEm frente ao seu prédio nos despedimos, senti o beijo dela em meu rosto mais demorado, como se quisesse ficar ali mais tempo e logo em seguida ela me perguntou, quero você aqui amanhã para comemorar a minha festinha, você vem não vem?rnEu confirmei que iria sem falta e ela saiu do carro.rnJá estava de pau duro, louco por uma mamada.rnCheguei em casa e parti pra cima da minha mulher, imaginando estar com a delicia da Rosane. rnNo dia seguinte, apás uma leve discussão com minha mulher, ela decidiu não ir ao aniversário, por achar que não tinha roupa decente e por eu ter avisado muito em cima ? na quinta-feira. rnNem liguei, falei que ia sozinho então e ela não reclamou. Ao menos ela tem isso de bom.rnNão sei se faz isso por pura confiança em mim, ou porque já está de saco cheio mesmo e está dando pra alguém, mas isso não vem ao caso. KkkrnCheguei por volta das oito e vinte da noite e já havia algumas pessoas. Logo percebi que não era bem uma festinha, mas sim uma pequena reunião de amigos. Dei uma desculpa qualquer pra Elisa não ter ido e ninguém falou nada.rnLogo o marido dela apareceu e fez questão de me apresentar a todos, sendo muito gentil e amigo, até estranhei, por me conhecer muito pouco.rnAos poucos foram chegando mais pessoas e familiares. Percebi então que a única pessoa do trabalho ali era eu. Quis perguntar se alguém mais iria, mas fiquei na minha, acreditando que seria deselegante expor algo do tipo.rnPor volta das onze, quase todos já tinham ido embora e eu decidi ir também. Foi quando a Rosane me pegou pela mão e disse; você não. Fica quieto ai que ainda tem muita bebida e você não vai trabalhar amanhã.rnOk. Fiquei sentado na varanda, conversando com um primo dela que por estar com um bebê foi embora cinco minutos depois. Ali da varanda não percebi quem ainda estava no apartamento, mas quando levantei para ir ao banheiro, senti uma leve tontura e percebi que o último casal estava indo embora.rnOlhei no relágio e já era onze e vinte. Fui ao banheiro e quando retornei a sala disse que ia embora. Sá estava o Fernando ali, a Rosane não estava.rnEle disse que não, que eles não estavam com sono e que era para eu ficar mais. Mesmo assim falei que ia embora, por causa da hora e tal, daí ele falou, espera então que vou falar com a Rosane.rnVoltei pra varanda e fiquei olhando a paisagem, quando um tempinho depois, ouvi a Rosane falar, quem é que vai embora aqui?rnQuando me virei, ela havia trocado de roupa e estava com um vestidinho branco, bem soltinho o que a deixava com aparência de bonequinha.rnEla estava no banheiro do quarto do casal tomando banho e pude sentir aquele perfume delicioso que sinto todos os dias, quando chego perto dela.rnLogo atrás veio o Fernando com uma garrafa de vinho aberta, que ela adora tomar, por sinal. rnEle me entregou uma taça e voltamos a bater papo sobre tudo, trabalho, vida de casado, etc.rnFernando então falou pra gente sentar na sala, pois conversando na varanda, poderíamos perturbar os vizinhos.rnEstranhei o fato de ele ligar o ar-condicionado e fechar as portas e a cortina da varanda. Mas pelo papo e pelo vinho fomos conversando.rnPedi licença e fui novamente ao banheiro, pois estava ficando de pau duro ao ver o belo contorno dos seios da Rosane pela lateral do seu vestido. Quando voltei o Fernando não estava na sala e a Rosane estava em pé na cozinha.rnSentei em uma cadeira e ela passou por detrás de mim, para pegar algo na geladeira. Nisso ela se virou colocando as mãos em meus ombros e perguntando se estava acontecendo alguma coisa, pois eu estava muito quieto e não costumo ser assim.rnEu ri e disse a ela que estava tudo bem, que o momento estava sendo maravilhoso. Perguntei pelo Fernando e ela falou que ele havia ido tomar um banho e começou a apertar os meus ombros de leve, meio que fazendo uma massagem.rnEla perguntou se estava bom, podia sentir as suas mãos geladas e meio trêmulas. Eu disse que estava maravilhoso, mas ela teria que parar senão o marido dela podia ver.rnEla então me chamou para a sala e pediu para eu sentar na poltroninha que ficava de lado e assim eu sá conseguia ver a varanda e mais nada atrás de mim.rnContinuou a massagear e o meu pau estava totalmente duro. Ela então me perguntou se eu tinha hora pra chegar em casa e se não teria algum problema se eu chegasse bem tarde. Perguntei o quanto ela considerava tarde, já que era quase meia noite.rnEla disse que o tarde sá dependia de mim.rnLevantei a cabeça olhando pra trás e ela me deu um leve beijo na testa. Ai comentou, nossa, acho que estou ficando bêbada.rnEu ri e falei pra ela que achava lindo ela bêbada.rnEla então falou que apesar do aniversário ser dela, ela queria me dar um presente. Um presente pela nossa longa e gostosa amizade.rnSem entender muito bem, ela me pediu um minutinho e saiu. Eu estava super excitado, mas não acreditava que fosse rolar alguma coisa, não ali, não com o marido dela em casa.rnMenos de um minuto depois ela voltou e perguntou se eu queria ou não o presente. Disse a ela que dependia do que era e ela disse que eu iria gostar.rnPediu que eu fechasse os olhos e eu sem conseguir ver nada atrás de mim obedeci. Suas mãos que estavam em meus ombros desapareceram.rnLogo depois senti a sua mão pegando na minha pedindo para eu levantar. Eu já não conseguia mais controlar e com certeza de pé, meu pau estava aparecendo super duro pela calça.rnEla foi me conduzindo devagar e eu pude perceber que estávamos indo pra frente. Ela me sentou novamente e percebi que era no sofá e logo depois ela sentou em meu colo.rnNossa, a excitação era máxima. Levei minhas mãos diretamente a sua bunda apertando e forçando ela contra o meu corpo.rnSenti ela começando a me beijar, bem de leve passava a língua pela minha boca, meu rosto. Senti que ela tirou o vestido e abri os olhos. Ela então mandou voltar a fechá-los, pois fazia parte do presente.rnSenti a minha camisa ser tirada, minhas mãos percorriam o seu corpo, que agora sá vestia uma calcinha. Pegou minhas mãos e levou até seus seios. Nossa, meu pau quase explodiu nessa hora. Ela veio em meu ouvido e sussurrou, sinta eles, pois eu sei que você os come com os olhos.rnE realmente são demais. Duros, firmes, cheios, pele lisinha, passei a chupá-los igual um bebe. Nem sei quanto tempo fiquei ali, sá sei que ela gemia baixinho, dizendo que era maravilhoso tudo aquilo, perguntando se eu estava gostando do presente.rnFoi então que ela levantou e pediu que abrisse os olhos. Ela estava de pé apenas com uma calcinha amarela, bem pequena. Ela então sorriu e falou que este era o outro presente. Ela falou, lembra que uma vez você me disse que adorava mulher de calcinha amarela? Eu falei que sim, mas não lembrava. Mas realmente eu adoro mulher de calcinha amarela, azul ou branquinha.rnFalei que ela estava linda. Pude enfim vislumbrar aqueles seios grandes, perfeitos, a poucos centímetros de mim. Foi quando me dei conta do marido dela e fiz menção de levantar.rnEla falou para eu sentar e eu perguntei pelo marido dela. Ela falou pra eu relaxar, que apesar de tudo, eles descobriram que isso era o que sempre quiseram realizar. E que não era para eu me preocupar, pois ele queria muito que isso acontecesse e com certeza ele estava vendo e adorando.rnTentei olhar, mas ela disse para não procurar por ele, pois ele não queria que eu o visse e ela queria apenas curtir o momento, como se estivéssemos a sás.rnPedi então que ela se virasse e pude ver a sua bundinha com a calcinha toda enterradinha. Comecei a passar as mãos e a beijar, ela então se curvou pra frente e pude enfiar minha cara no meio da sua bunda, enfiando a língua em sua bucetinha e seu cuzinho. rnSempre fui louco pra comer o cuzinho dela, pois imaginava com seria gostoso meter nela com os peitões balançando e a carinha dela de mulher feliz e casada gemendo gostoso.rnPodia sentir o calor e o quanto a bucetinha dela estava encharcada. Ela gemia e forçava seu corpo pra trás, como se quisesse que eu enfiasse ainda mais a cara ali.rnEla então levantou, me colocou acomodado no sofá e tirou minhas calças de uma sá vez, com a cueca e tudo. Meu pau totalmente em pé ficou a poucos centímetros do seu rosto e ela o abocanhou.rnFalou que estava louca por aquilo fazia tempo. Seu marido fantasiava isso e eu aquela altura nem queria mais saber se ele olhava ou não.rnEla mamou muito, as vezes sentia até um pouco de dor, pois ela esfregava os dentes tentando engolir tudo. Me punhetava e mamava muito gostoso e eu não via a hora de gozar na sua boca.rnEla então se levantou, afastou a calcinha e perguntou se podia confiar em mim. Eu disse que podia confiar sempre. Ela então foi sentando no meu pau sem camisinha mesmo.rnMeu pau entrou super apertado, apesar dela estar totalmente molhada, o que me fez pensar que o pau do marido dela deveria ser menor. Senti meu pau rasgando ela e ela gemia agora sem pudor algum.rnPulava cada vez mais rápido no meu pau, hora subindo e descendo, hora enterrando tudo e mexendo pra frente e pra trás.rnEu sugava seus seios, apertava, puxava seu cabelo, apertava sua bunda. Parecíamos dois famintos por sexo, ali em pleno sofá, metendo como dois namorados, sem se importar com o marido.rnEstava prestes a gozar, quando ela segurou as minhas mãos e gemendo mais alto e se esfregando com mais força em mim, falou que ia gozar. Deitou a cabeça no meu ombro e ficou ali ronronando e gemendo baixinho.rnFiz com que ela se levantasse, ficamos nos esfregando de pé, virei-a de costas e fiquei roçando o pau no meio das suas pernas. Ela empurrava a bundinha pra trás e fazia meu pau deslizar no meio dela.rnTirei a calcinha dela e a posicionei de 4 no sofá e fui metendo novamente. Delicia demais. A bunda pequena, marquinha de biquíni bem leve, fui segurando pela cintura e fui empurrando o pau pra dentro.rnComecei devagar e ela agarrada ao sofá gemia gostoso.rnPercebi de relance o Fernando olhando, mas não pude ver exatamente o que ele fazia. Sá sei q ele estava sentado no chão, um pouco mais atrás da gente, quase no corredor.rnAcelerei os movimentos e era demais ver aqueles fartos seios balançando. Agarrei com as duas mãos e passei a socar o pau com mais força. Estava louco pra gozar e dei uma parada.rnDepois voltei a empurrar novamente, segurando em seus cabelos, enfiando os dedos na sua boca, agarrando seus seios. Não sabia o que fazer, estava totalmente descontrolado de tesão. Era algo que sempre sonhei em fazer e agora estava ali. Delicia de mulher, toda branquinha, bucetinha rosinha, molhada, toda lisinha, fodendo gostoso comigo.rnFiz com que ela deitasse no sofá de bruços, empinei a bundinha dela e passei a meter nela deitadinha, mas toda empinada.rnColoquei uma almofada por baixo dela, para que pudesse ficar mais alta e passei a puxar a sua cintura pra cima e pra baixo escorregando fácil no meu pau.rnFiquei assim por uns 7 minutos até que não aguentei mais e falei q ia gozar. Tirei meu pau pra fora e pedi que ela sentasse no chão, pois eu era louco pra gozar nos peitos dela.rnEla mal agachou e já foi saindo vários jatos de porra molhando completamente o seu peito, caindo um pouco no rosto e no sofá. Era a melhor sensação do mundo, ver aquela delícia toda gozada.rnSentei na poltrona, de costas para o marido dela que levantou e foi para o quarto. Ficamos ali uns minutinhos, rindo do que fizemos, nos roçando e beijando, mão naquilo, aquilo na mão.rnEla pediu para eu esperar um segundo e saiu da sala.rnNo práximo continuo o que mais está acontecendo.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


patricinha porteiro conto eroticoEliana: é meu vizinho que quer comer meu cueu falei Jaime de bucetacontos eróticos vendedor externocontos minha irmãzinha tinha mania de sentar no meu colocache:FPfKk_mm7mAJ:okinawa-ufa.ru/conto-categoria-mais-lidos_9_9_zoofilia.html Contos eroticos bem comida e chupada em cada tetas por dois machoshomen bulinando o penis no chortminha sobrinha puta contogostosas com mini calsinha saindo o beisinho da buseta de ladaContos eroticos de mulheres sendo abolinadas no onibus lotadossexo oline depiladora não aguentaou ver o cliente de pau duro e caiu de bocaconto gang bang com crentecontos fui banha no rio e minha tia foi atrazcontos eroticos com a velha vizinha cabeludatiraram a roupa da esposa contocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eróticos com minha cunhadinha ainda bbcontos de coroa com novinhocontoseroticos fiz chantagem com minha chefecontos eroticos arrombando a gordachapeleta pegando a casadabuceta carnuda comtos de sexocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos veridicos de incesto punhetando o papai iniciandocontos eróticos ela levou ferrocontos eroticos segredos de familia parte 4dei carona pra vizinha casada vadias reaisconto herotico o diretor da escola tava comendo minha filha e a maicontos gozei no papaicontos eroticoso cu da cadelinhaminha sogra falou que tem dificuldade para gozarcontos de mulher insatisfeita com maridoconto transando com mulher deficientecomia mae contoscontos eroticos virei amante do tio do meuContos eroticos minha esposa e o estrangeiroconto erótico ajudando a irmã na faltacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteirmao fode irma contos Eroticostrs com minha tia no banheiroContos fudendo elacontis eroticosadoro cupar o cuzinho da minha enteadafazenda de nudismocontos pagando aposta com um boqueteConto erotico contando minhas tranzas para meu pai e acabou me comendoou porn contos mãe traindo com um negrocontos eróticos prima e irmãcontos eróticos cuzinho da filha da namoradaconto erotico. sobrinha mulatinhacontos eroticos com a boquinha cheia de porra incestocontos eróticos minha esposa ficou encurraladadei a bunda contosContos eroticos estupradacontos eroticos meninaconto erotico com camionistacontos minha mulher pagou minha divida com a bundaNo cu da minha namorada amigo contos relatosporno ex-namorada baixinha olhos claros da cintura da bundona gostosacontos eroticos namorado e amigo mesma camaMinha namorada ela mandou minha cunhada abri bem suas pernas ela disse pra eu tirar o cabaço da buceta da minha cunhada conto erotico"ficou aberto" gay contocontos eroticos esposa convida amiga pra fuder com maridoconto de mulher casada crente com filhoconto arumei um pauzudo pra minha esposa e ela viciouesticando os biquinhos dos peitinhos virgensconto erotico minha mulher nua na frente do paicontos eroticos punheta no.onibusComtos casadas fodidas pelo sobrinho e amigos delecontos meu primeiro crossdressingcontos gays sendo o viadinhos dos adultos que me humilhavamtroca x troca feito com amigo e dando o cu contosdois primoscontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosmeu marido comeu nossa filhavivos magras de peitospequenos deixando gozar no peitocontos gays transei com meu amigoabusando no metroquero ver o filme de pornô a mulher metendo o Cascão na gemendo gemendoviadinho e o andarilho velho negro contos eroticoscontos eroticos botei um macho pra desvirginar minha filha maecontos torei a vizinha de treze aninhos e pagueiquero ver menininho dançando com shortinho dando molecoroa de cabelos branco enchuta dando gostosocontos de relatado por mulher de corno e viadominha esposa de shortinho na obra contocontos eróticos chuva molhadacomendo a cunhadinha lindinha contos eróticosconto erótico meu sogro bem dotadoWwwcasa dos contos meu marido e rasistaContos erotico viado e corno no hotel dividindo quartofudeu a priminha de olhos fechado