Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

E A ESCRAVA APRENDE A LIÇÃO

Minhas instruções haviam sido claras. Márcia deveria chegar exatamente às 17h no Boomerang do Flamengo, na esquina da Marquês de Abrantes com a Paissandu. Deveria sentar-se em uma das mesas junto à parede, de frente para a mesma. Deveria estar de saia, mas sem calcinha, e podia optar entre um soutien vermelho sob a blusa de abotoar branca ou a nudez dos peitos. Eu avisei que chegaria quando bem entendesse ou talvez nem fosse. Tudo seria um teste para sua submissão.rnrnMárcia não sabia como eu era, o que tornava tudo mais interessante. E deveria ficar atenta às mensagens em seu celular. Ela chegou às 16h55, mas eu já estava lá. Sentou-se como eu mandei. Havia vindo sem soutien. Era morena clara, 1,68 m de altura e 73 kg, com cabelos na altura dos ombros e uma cara de menina para seus 31 anos. Imediatamente recebeu um torpedo:rnrn?Não cruze as pernas.?rnrnEla obedeceu prontamente. E outro:rnrn?Peça um suco de abacaxi.?rnrnQuando chegou o suco, mandei Márcia encher a bebida de sal e beber. Ela sofreu, mas obedeceu. Então tive certeza de que ela realmente seria uma submissa. Naquele mesmo dia a levei para uma sessão. Expliquei que ela ainda estava em testes, dei-lhe uma safeword e disse que iria testar sua resistência com meu sadismo.rnrnComo ela aceitou ter marcas, não perdi tempo. Em minutos sua bunda e coxas estavam vermelhinhas... Márcia já lacrimejava, mas quando perguntei se queria desistir, dizia que não. Seus peitos, médios para grandes, com bicos protuberantes, me enlouqueciam... E torturei-os com vontade... Agarrei os bicos com alicates e os puxei até sangrar um pouco. Márcia, nesta hora, agonizou. Eu lembrei então que ela poderia desistir, basta usar a palavra chave, e ela respondeu:rnrn?Nunca, sou sua... faça o que quiser comigo.?rnrnResolvi então testar seus limites... E comecei a passar uma lixa de madeira em suas tetas... levemente... mas arranhava... Fiz por muito tempo até ela ficar um tanto ralada. Ela obedeceu, aceitou e agradeceu.rnrnDepois dei um pouco de carinho... Masturbei-a até o limite do orgasmo... e parava espremendo-lhe o clitáris... Da última vez levei-a até o limite. Parei. E não toquei mais nela.rnrn?Se você gozar, vou te abandonar imediatamente. Perderá seu dono e senhor?, expliquei.rnrnEla se conteve.rnrnNos dias que se seguiram, não pude encontrá-la, mas dominei-a o tempo todo com torpedos e pelo GPS de seu iPhone. Sim, eu sempre sabia onde ela estava. E controlava tudo. O que ela comia, o que ela vestia, quando ia ao banheiro etc. Ela parecia ficar cada vez mais extasiada com a perda de controle práprio.rnrnNosso práximo encontro foi em um fim de semana, e pela primeira ela me desobedeceu. (Já era hora...) Mandei que viesse de saia, sem calcinha. E ela veio de calça jeans e com calcinha. Íamos viajar para Petrápolis. Eu fingi então que não percebi a desobediência e mandei que entrasse no carro.rnrnLogo que saí, passamos em uma loja de conveniência e eu ordenei-lhe que comprasse cervejas e água. Durante o caminho, obriguei-a a tomar 3 cervejas e 1,5 litro de água. Ela ficou louca de vontade de mijar.rnrn?Ok, mas vai mijar na estrada, como uma cadela?, expliquei.rnrn?Tudo bem, mas pare, por favor!?, ela respondeu.rnrnMandei que saísse do carro, levantasse a saia e mijasse no acostamento.rnrn?Mas, Senhor, estou de calça?, ela explicou.rnrn?Que pena, não? Quem mandou desobedecer? Agora então vai mijar do jeito que eu quiser...?, respondi.rnrnE mandei que ela ficasse de pé, na minha frente e mijasse na calça. Nunca a vi tão humilhada, mas ela obedeceu. Depois de forrar o banco com plástico, mandei que ela se sentasse e seguimos viagem.rnrnAinda fiz com que bebesse mais água e mais cerveja, e ela mijou na calça mais duas vezes aquele dia... Não deixei que tirasse a calça e a calcinha mijadas até a manhã seguinte. E quando acordou, mandei que tomasse um banho e se entregasse a mim.rnrnNaquela manhã, eu a tratei apenas com carinhos, mas ela estava tão assada que o sexo não poderia ser mais desagradável.rnrnDesde este dia, ela sempre veio de saia e sem calcinha quando eu assim ordenava.rnrnDono do Seu Egornrn[Caso você esteja interessada em uma experiência como a de Márcia, escreva para mim ou me encontre no MSNSkype: [email protected]]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


virei puto do vovo conto gayconto vendo cunhada casada peladinhaconto erotico arrastaram minha namorada na festaVideo Homem esfrega pênis na camaecotra coroa que.evie vido sexo avivotomates conto heteroFotos erótico padratos e entiadameu marido morreu e eu to com tesaocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteencoxei e dedei minha sobrinhacontos er¨®tica lesbicosPeguei meu entiado masturbando com minha calcinha.conto eroticoloira gostosa goza sozinha comtá um poko da sua safadadefilha Pare contos eroticosconto eu meu filho e meu pai cumemos minha esposa rabudacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos estuproscontos fiz tesoura na minha irmanzinha pequenininha e foi gostozocontos eu minha esposa e um viadinhoconto erotico minha prima que considero irmãcontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos casal voyeur sem querercontos eroticos estuprado na frente da mulherMeu sogro me seduziu contosconto eroticos meu filho mecomeu dormindocontos eroticos .na pica do meu filhãoContos ai no cuzinho naomeu patrao me comeu na base da chantagemChiquinho chupando pintocantos erotico brincando de baralho com sobrinhaMeu irmão mandou eu deitar com eleconto porno gay putinha de váriosMeu sogro cheirou minha calcinhacontos meu comedor de cucontos eróticos picantes dando pro professor gostosoconto erótico rasgada pela turmamete mete contocontos eroticos comendo uma carcereiraContos nossas filhasporno com amiga loira baixinha encorpadinhatia gritando "me come sobrinho"historia porno gay, paguei boquete no amigo carloscontos picante com sogrofazenda fravia dan xeso anal lua demelcontos eróticos sequestrada por um velhosempre dou uma escapadinha contosconto erotico comendo sogra no velorioler conto erotico de velha greludaconto erótico de homens que tiveram experiência com alguns homenscontos eroticos meu enteado se vestiu de mulher pra mimcontos eroticos casada comida no assaltoconto erotico me vesti de mulherzinha e fui a piranha da festaminha mulher foi enrabada e me contoucontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentea primeira vez com homem casadovídeo pornô de sobrinho pega tia de baby doll calcinha na cozinhacontos eroticos sexo a trescomessei a alizar o pau do marido da minha tia contofundura da buceta midindo pornoContos eroticos sem calcinha estuprada pelo sadomasoquistamulher gosta de ficar nua e corpo inteiro melado de margarina contos comi a japonesa rabuda casadacontos de incestos e surubas ferias entre irmas fazendadsdescasados do litoral bundudacontos eroticos sou casada tenho filhos meu marido otavio meu sobrinho parte 3Comtos casadas fodidas pelo patraocontos perdendo a virgindade dormindocontos eroticos solteira vendidaa filhinha do meu amigo contos pornoA mulher do meu amigo gemeu baixinho na minha vara pra ele não ouvirmeu noivo me preparo uma despedida de solteira conto eróticoscontos erotico fui concertar s torneira da vizinharelatos reais ciumento casado corno aconteceu na praia