Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DANDO NO HOSPITAL

Meu nome é Maria, tenho 22 anos, sou estudante de medicina e vou contar um caso que aconteceu comigo no final de 2005, que escrevi no meu diário e criei coragem de publicar. Todos os nomes que citarei são trocados, visando proteger a mim mesma e aos envolvidos.

Bem, sou uma mulher de estatura mediana, loira, bunda grande e seios pequenos. Considero-me moderadamente bonita, sendo que muitas pessoas já me falaram que sou atraente, dizendo que o meu humor voraz complementa esta minha aparência. Mas na cama sempre fui um pouco recatada em alguns aspectos, sendo que nunca fiz sexo anal e não sou muito de sexo oral, mas que o meu namorado, já que não tenho muito reflexo de vômito e aguento a carga toda sem problema. Já tive oportunidade de ficar com outra mulher, mas fica para outra histária.

Estava em um plantão no estágio em que trabalho em um pronto-socorro, tendo a duração de 19 hs, e quando é de noite a gente acaba tendo que dormir lá, o que foi o caso. No meio da semana, principalmente de noite, tem horas em que o movimento é pouco e acaba que nás ficamos um pouco à toa (todos os estagiários), apenas conversando ou indo dormir no dormitário para médicos e residentes. Quando eu não tinha trabalho para fazer, ficava mais conversando com um colega meu, o Alexandre, muito bonitinho, moreno, de estatura média e muito engraçado, sendo por isso que eu gostava da companhia dele.

Já era por volta das duas da manhã, o movimento estava fraco e ainda faltava cinco horas para acabar o plantão. Aí o Alexandre disse:

- Vamos no dormitário dormir, não tem nada para fazer.

Aí respondi com uma brincadeira:

- Vamos to cansada de fugir para não atender paciente, preciso dormir.

Chegando lá, todas as camas estavam ocupadas, até mesmo o sofá.

Alexandre disse:

- Vamos ter que ir para um motel então...

Acostumada a ouvir esta piada, falei apenas que tinhamos que arrumar outro lugar. Ai o Alexandre lembrou que tinha um sofá no último andar e que não devia ter ninguém por lá já que ficava perto da secretaria e esta já estava fechada.

Chegando lá, o sofá estava livre e o andar deserto. Como sá tinha um sofá, tínhamos que dividir. Alexandre rapidamente deitou primeiro e eu deitei em seguida, ficando nás dois na posição de “conchinha”, sendo que ele ficava por trás. Pensei que seria melhor pedir para nás trocássemos de posição, mas comecei a gostar e não falei nada. Disse boa noite e ficamos um tempo sem falar nada. Alguns minutos depois, comecei a sentir algo mais duro encostando na minha bunda, sentei-me no sofá e perguntei o que era isso e ele disse:

- É o meu pinto que tá duro por causa desse bundão esfregando em mim, me fazendo sá pensar em comê-lo.

Espantada com a resposta (o Alexandre sempre dizia o que vinha na cabeça, e já tinha dado em cima de mim várias vezes de maneira mais discreta) respondi com um sorrisinho que gostava dele mas que eu tinha um namorado.

Ele disse enquanto alisava o pau com a mão sobre a calça:

- Mas o seu namorado não está aqui e nem precisa saber.

Nisso ele tirou o pau para fora sem nem esperar eu falar nada. Era grande e cheio de veias, mais ou menos uns 20 cm, bem maior que o do meu namorado, que tinha 19 cm e era mais fino.

Vendo aquele pau, o maior que já tinha visto, fiquei doida de vontade, mas falei que sá transaria se lê não falasse com ninguém e se tivesse trazido camisinha. Respondendo sim para as duas, foi para cima de mim me beijando com força. Ao mesmo tempo segurei o pau dele que estava quente e pulsando.

Ele disse com um sorriso no rosto:

- Você deveria ter aceitado o meu convite de ir para o motel, estaríamos bem mais confortável. Mas vou ter que te comer aqui mesmo.

Ele tirou as calças e me ajudou a tirar as minhas também, falando que queria ver a minha bunda.

- Sua bunda é demais, vou adorar comer o seu cú!

Falando nisso tremi, mas não falei nada, falei apenas para ele chupar o meu grelho raspadinho.

Sentei no sofá e ele ajoelhou no chão e começou a me chupar de uma maneira impressionante, mas eu já começava a pensar em como seria aquele pauzão dentro de mim. Ficou me chupando por um tempo com uma das minhas pernas em cima do seu ombro.

Depois me pediu para chupar o pau dele, o que eu fiz de inesperado bom grado. Trocamos de lugar e comecei a chupar a sua enorme cabeça e, lentamente, fui aprofundando, alternando com lambidas e chupadas no saco.

- Aposto que você tá gostando deste pauzão na sua boca, né vadia. Chupa tudo! Disse ele empurrando a minha cabeça em direção ao seu pinto para que eu engolisse tudo.

Fui chupando até a raiz, deixando aquele pintão todo na minha boca, encostando a cabeça na minha garganta.

Pedi para pegar a camisinha porque queria que ele me comesse. Sentei em cima dele e comecei a cavalgar enquanto ele chupava meus pequenos peitos.

Gritei já ficando meio doida:

- Me come mais forte seu viado!

Ouvindo isso, ele me jogou de gosta no sofá e começou a meter com força.

- E agora, sua puta. O que ta achando. Disse ele metendo como se fosse uma britadeira, com as minhas pernas para o ar.

Transamos muito, ele gozou, chupou o meu grelho mais um pouco e falou:

- Agora vou comer o se cú.

Eu disse:

- Eu nunca dei o cú, então vai com cuidado e devagar, e se eu disser para parar você para.

Ele concordou e falou que o meu namorado deve ser um frouxo, por ter uma bunda dessa a disposição e nuca ter comido.

Chupei mais um pouco o seu pau e fiquei de quatro no sofá e ele de pé atrás de mim. Começou enfiando apenas aquele cabeção e, vendo que eu estava travando, falou para eu relaxar. Começou a enfiar mais o pau e começou a doer muito mas acostumei com a dor inicial e fui gostando, apreciando aquele movimento de vai e vem.

- Meu pau já entrou pela metade, agora vou meter tudo!

Ai ele meteu até o fundo, doendo muito. Acostumando com a dor, fui movimentando o meu corpo para trás, ajudando na penetração.

Ele ainda comeu muito o meu cú naquela noite nas mais diversas posições.

Terminamos, descemos para bater o ponto e fomos embora. Ainda transamos escondido do meu namorado, sendo que a minha primeira pedida agora é sempre uma metida no rabo!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Chaves com tesão de Chiquinhafui afeminado por uma dommecontos eroticos apostei meu marido e pedirminha esposa escolheu vibradorsurpreendeu a esposa com consolo contoscomi a minha mãe na chantagemcontos entre mãe e filho picudo no banheirorelato de gêmeos que acabou torando sua sogracontos eroticos espermapó RNdoidoconto minha mulher aronbadatransei com minha tia nas dunas da praiaconto erótico novinho flagra sustomulheres novinhas com peitinhos pequenos arrebitado inchados eContos eroticos esposa gosta de exibi e leva cantada nas praiasmãe e filha dando para travesti em casa Curitibanoscontos gozei depilando o penisgeovana tira a calcinha e da a bucetaDedo na xoxota contoscontos vizinha loira meninao p****** do metrô mulher relata conto eróticovidio porno d3 uam mulher branca 3 uma homem preyocontos eroticos arrombando a gordacontos putona tia marta sua bundacasadas baxias di calsias na zoofiliacontos bdsm erposas escrava submissaquero tua jeba rasgando meu cuconto erptico ajudamdo a filha aperder o cabaçocontos.erostico.comendo.minha.cunhada.beba.esposa.dela.estava.viajandocontos eroticos 9 aninhosminha sobrinha no motel no meu pau conto eroticocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteNovinha sou chupadora da escola contoseroticoscontos eroticos de como meu amigo me comendoesfrega conto heroticocontos eroticos de travestis sem camisinhacontos eroticos de casadas traindo no trabalhome realizando com travestibobadinho condo o priminho gaycontoeroticos/maefilhacontos malicia incestuosacontos eoroticos sobre enfermeiras de montes claros mgputinha vagabunda da familia contoscontos de mulheres ninfomaniaca por sexoo caminhoneiro me fudeu a força contos eroticosconto erotico virei menina por ter cabelo compridoinfância;contos eróticos;enrabadocontos eróticos infânciatratano da titia com rolabucetas gostosas e grandes e bonita cm tela bem ajustadaestorei o cu dela contomoreninha linda gostosa quatorze anos dandocontos eroticosChiquinha gostosa melada de tesãoEliana vai almoçar com Maísa fode fode vai fode fode fode meu c*contos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosmachos colosso por caralhosdesvirginando a clarinha contoscunhada jogando o charme video pornocontos eróticos daliconto erotico dopei minha esposa pra ser cornoxvideo do cunhado pecado a cunhadinha a fosa gozado dretro da boceta delacontos zoofilia namorada e a prima dela dando o cu pro cãocontos eroticos arrombando a gordaminha namorada e putinha do meu pai contoscontos heroticos dormi com minga mae e ela mexeu na minha bucetacontos verdadeiro aventura das melheres com mendigos roludoscontos de corno acampandoeu i a neguingo do pornominha tia querida bota roupas curtas e eu fico com tesão doido pra comer ela mais tenho vergonha o q façocontos erotico rabuda e o filho Praia nudismoler contos de jovens heteros iniciados por outro jovem no sexo gaycontos eroticos viagem ônibusfui dormir na casa do meu primo e ele acordou de pau duroconto erótico dominando casada bravaRealizei a fantasia do meu colega e eu virei cornocontos eroticos arrombando a gordavideos de teens ninfetas dos peitoes definidos transando gostosoComtos filha fodida pelo pai e amigos delecasaei com uma safada contosconto erotico funkcontos erotico com loira e negaoDei pro amigo do meu namorado 18 anos contos eróticoscontos eróticos bebadaconto tia saidinhacontos.virei travesti pela drogao meu padrasto me arrastou pro matagal contos