Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CÁTIA ME CORNEA COM MEU PAI III

Cátia, minha fiel esposa tinha me traído. E com meu pai! Eu agora sabia que ela participava também de orgias e swing, como aconteceu nesta noite em que me fingi de bêbado e fui deixado dormindo na nossa suíte enquanto, lá embaixo na sala, ocorreu um tremendo swing, onde meu pai usou minha esposa em troca da irmã do meu chefe!! Rafer, vice-presidente da empresa em que trabalho era amante da prápria irmã Raquel!! Esta noite havia sido cheia de surpresas. Mais ainda quando descobri, pela primeira vez, há uma semana atrás minha mulher engolindo a rola de meu pai!! Agora Cátia está tomando banho, lavando todo sinal de luxuria que exauria de seu corpo. Ela limpa cuidadosamente a vagina e se demora um pouco mais no anus. Eu a vejo através da porta semi aberta do box. Meu tezão é tão grande que chega a doer!! Eu sá preciso fechar os olhos e toda a cena volta a minha mente!! Cátia beijando sofregadamente a boca de Raquel enquanto era duplamente penetrada por meu pai e Rafer!! Saber que minha esposinha, deusa de sexo, me chifrava também com meu chefe, era a glária!! Eu devia estar com meu estado mental alterado! Como eu poderia estar tão excitado e feliz se eu era motivo de desprezo de meu pai, e sabe lá quantos homens mais, que abusavam de minha esposa!! Ainda mais que Cátia não escondia o prazer intenso em se entregar ao meu pai e possivelmente a outros homens!! Não, eu não estava fora de razão. Simplesmente eu nasci assim!! Como um homem nasce viado e uma mulher nasce lésbica. Então era isso! Em vez de me mortificar querendo espancar minha mulher, eu me sentia mais tesudo e feliz ao saber que ela era minha esposa possuída por outros homens!! Uma sensação incrível e indescritível era saber agora de quantas vezes Cátia e meu pai e os outros homens sabiam que estavam ali trepando com uma deusa de sexo genuinamente bem casada!! Eu não queria a moiçola pura com quem me casei. Eu queria a esposa que me traia com meu pai!!



-Oh! A conversa durou até agora?...que horas são? – perguntei enquanto entrava no banheiro.



-Que susto, queridinho!!...eu não sei. Teve uma hora que eu quase cochilei...



-Voce está linda...com esse corpo molhado...olha como estou!!



-Deve ser porque você quer urinar, Fel! (meu nome é Rafael e este é meu apelido). Eu estou tremendamente cansada!! Me deixe dormir bastante, benzinho!! Não me chame pra nada!!



Enquanto falava, Cátia se enxugava. Em seguida ligou o secador de cabelos o que impossibilitou de eu continuar com o diálogo. Mas a tesão era por demais insurpotável! E ali, sensualmente com os braços levantados e os volumosos e bem torneados glúteos levemente tremulando devido aos movimentos dos braços, Cátia me era todo esplendor! Aquela bunda maravilhosa que foi feito de tudo, o que é possível sexualmente fazer, por meu pai e por Rafer, era o meu imediato objeto de desejo! Assim me aproximei e a abracei carinhosamente. Cátia deu um leve suspiro e virando o rosto, sem nunca parar de desligar o secador, meu deu um beijo na face, dizendo: “Vá dormir...”. Aquela indiferença me doía profundamente, pra logo apás aumentar ainda mais meu desejo por ela, por aquela putinha dos outros homens!!



-...mas eu quero você!!



-Pô, Fel!! Se manca!! Que horas são?...quase quatro da manhã, e você vem com essa histária agora!! Deixa de ser egoísta!



-Mas...mas você...estava...estava... ( Então me toquei da mancada que ia dar!!)...está tão sexy!! Olha o estado que você me deixa!!



Cátia calmamente desligou o secador e me olhando nos olhos disse: “Se masturbe enquanto seco os cabelos...depois não deixe nada melado por aí!” Religou o aparelho e continuou como se eu não existisse. Eu adorava essa mulher!! Porém não me fiz de rogado. Num gesto brusco tirei o secador de sua mão, enlacei sua cinturinha com meu braço e levantado-a do chão a levei para a cama!! Cátia se refazendo do susto me dava tapas espraguejando!



-Me solta seu imundo!! Seu grosso!! Me solta já!



Consegui deitá-la na cama de bruço enquanto ela continuava se debatendo e me xingando e cai em cima de suas costas. Eu beijava sua nuca e suas costas e fui descendo, sempre a segurando firmemente! Minha rola se alojou entre as bandas de sua nádega e aquilo me deu um imenso calafrio de prazer!! Quantas vezes meu pai não teve a mesma sensação!! Em seguida eu fui descendo mais ainda, pois queria venerar aquela bunda maravilhosa que tantos já haviam gozado nela!! Segurando os dois pulsos de Cátia e com meu torso fazendo peso em suas coxas eu sá tinha o meu rosto para abrir caminho até o anus, por mim nunca violado, de minha mulherzinha!!



-Pára, Fel! Pára!...deixa de ser escroto!! Seu merda!! Seu...merda...merdinha...pááára...



Minha boca e língua sugavam com avidez aquele anelzinho avermelhado de tanta rola que tinha levado há uma hora atrás!! Cátia agora não mais se debatia e parecia gostar! Não hesitando mais, me levantei pra tomar posse daquele cusinho que era dos outros e nunca foi meu!!



-Nada disso! Você não vai querer me melecar de novo, vai!!



Cátia se vira e me encara apoiada nos cotovelos.” Se masturba e...me chupa pra acabar logo com isso!”. Que humilhação! Meu corpo tremia em êxtase!! Eu me ajoeilhei e como se estivesse rezando ao todo poderoso beijei, chupei e suguei com inteira devoçãoa minha esposinha traidora!! Quando eu me empolgava em demasia, Cátia me dava tapas na cabeça!



-Devagar, á escroto...devagar!! Eu obedecia humildemente e voltava a me sufocar entre suas bem torneadas coxas. Mas era impossível não me empolgar! E num desse repentes em que ela me bateu na cabeça de novo, eu levantei meu rosto e disse:



-Me esbofeteia na cara!! Vai, bate!! Com força...bate!!



Cátia me olhou surpresa com o pedido. Então o belíssimo rosto de Cátia tomou uma expressão impassível. Uma expressão que sá uma pessoa dominadora tem e sem avisar me esbofeteou duas vezes!! Eu estava pra gozar e quando eu pedi pra me esbofetear de novo, Cátia não atendeu meu pedido mas agarrou por meus cabelos do alto da cabeça e puxou minha cabeça de encontro a sua bucetinha, esfregando meu rosto nela como ele fosse uma esponja!!



-Vai...chupador...xerequeiro...se lambuza...seu putão!!



E eu gozei brilhantemente pela segunda vez desde quando descobri meu pai comendo minha esposa!! Cátia delicadamente, mas ainda segurando meus cabelos, me afastou de entre suas coxas, se levantou e se dirigiu para o banheiro. Eu ainda arfava, me recuperando do gozo, quando ouvi o secador de cabelos sendo ligado.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


cunhada ariando a calçinha p mimconto moreno heterochaves comendo cu da chiquinhacontos de coroa com novinhocomendo a dona da locadoramarido chupa seios quando está nervosocontos veridicos de japa com dotados de pau gigantescontos abusada pelo cachorroconto banho com a namorada na academiatia gritando "me come sobrinho"Contos eroticos minha amiga me contoucontos gay mamando coroaconto menina safadinha anoscontos eróticos funcionáriacontos eroticos sobre gay arrombado pelo bombeiroviciei em chupar contoscontos de pura putaria entre pais e fconto erótico aninhosapremira vez da fenandinhaconto seduziu heterogrelo xoxotudadepois de brigar namoradas lesbika fodim na istrada"voce e muito corno"comi a minha mãe na chantagempau grande alongado contoscontos esposa rebolou para,amigominina pela de mostrngo a busetaContos erotico de trans estuprano gravidaenfiado a buceta na grafi de cama xvidiocontos eróticos corno mansoeu curto cunhado faz chantagem para comer a cunhada casadatocu de proposito pornodoudomeu pai tem ciumes de mim contos eroticosconto erotico mamando nos peitos cheio de maninhacontos lesbico eu a mulher do traficantecontos eróticos orgias biCasa dos Conto a beira de uma suruba esposa casadacontos eroticos arrombando a gordaminha mae com a buceta peluda contocontos prima novinha dando cuzinho de surpresacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos corno bebado esposa com fogo no rabo amigo roludoo pau do meu irmao contoscontos.de.velha.crente.taradacontos pornô de incesto meu pai pauzudo e o meu corpinhoconto eroticotravesti comdno coroas casadasconto erotico casada trai com cunhado ocontos eroticos colocaram o dedo no meu cuzinhocontos roticos botA pra cagaincerto mae com punheta contocontos eroticos a calcinha da patroameu irmão me convenceu contosdona redonda arreganhado o cuzaocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos arrombando a gordasou uma putinha gostosa da familiacontos eroticos gay meu padrasto de vinte e quatro anos me enrabou dormindo quando eu tinha nove anoscontos eróticos de dupla penetração b*****conto pai por favor mim enxugaContos eroticos cumeu irma e primacontos eroticos de padrinho gay dando a bundamaesqUefaZemsexocontos eroticos gay meu tio de vinte anos me comeu bebado quando eu tinha oito anoscasada dando no rancho contoscontos bunda cu bebadacontos eroticos minha sobrinha meu amor part1Fernanda jeitim nuacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto praia de nudismo com a esposa continuacontos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadosa mendiga gostosa na chuva contos eroticosconto flagrei minha mulher com um estranhohomen bulinando o penis no chortacustumada desde pequena na rola grossa mais a pica dele e muito grande e grossa