Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
JŠ estŠ liberada a Šrea de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

M…DICA COMPROMETIDA FAZ SURUBA COM OITO COROAS!

Como j√¬° sabem, meu nome √¬© Aline, sou m√¬©dica, tenho 28 anos. Tenho 1m60, 61kg, cabelos castanhos crespos, longos. Tenho seios m√¬©dios e bunda muito grande, empinada e redonda, muito gostosa. Tenho namorado, mas ele vive em outra cidade, e h√¬° muito tempo deixei de ser santinha. No momento estou tendo um caso com Eduardo, um m√¬©dico de 47 anos, casado, que trabalha no mesmo hospital que eu, cujo in√¬≠cio eu j√¬° contei aqui (M√¬©dica transa com colega coroa em congresso).



Vou contar agora a primeira suruba que participei, incentivada por Eduardo, em uma das vezes que trans√¬°vamos (a esposa dele e meu namorado pensavam que a gente estava de plant√¬£o, rsrsrsrs).



Enquanto me penetrava ele falava para que eu imaginasse estar chupando outro cara. Aquilo foi me dando mais tes√¬£o e gozei com o pau dele dentro do meu cu. Ele sentiu como eu fiquei com tes√¬£o e perguntou se eu gostaria de transar com mais outro cara junto. Eu respondi que sempre imaginava isto, mas n√¬£o tinha coragem de fazer. Ele me disse ent√¬£o que tinha um grupo de amigos que se reuniam toda a semana para conversar e fazer festas. Eram em oito homens. Se eu quisesse participar de uma festa era s√¬≥ dizer. Perguntei como eram as festas. Ele disse que o pessoal se reunia e algum ou mais de um levava alguma mulher e ela transava com todos. Eu disse que oito para mim seria muito. N√¬£o iria ag√¬ľentar. Ele riu e disse que eu ag√¬ľentaria sim e pediria mais. Fiquei de pensar no assunto e depois falar com ele.



Fomos embora. Fiquei durante duas semanas pensando na proposta da suruba. Nunca tinha feito isso, como seria, eu iria ag√¬ľentar tanto pau?



Criei coragem e liguei para ele e perguntei quem eram os amigos dele. Alguns eram ex-colegas da faculdade e outros amigos do clube. Todos entre 45-50 anos, casados e bem-sucedidos, como Eduardo. Como j√¬° disse no meu primeiro conto, tenho uma forte queda por homens mais velhos, fico maluca. Perguntei quando aconteceria a festa. Ele respondeu que na quinta √¬† noite.



Liguei para o Eduardo e combinei a festa para quinta √¬† noite. Para meu namorado, disse que ia substituir uma colega num plant√¬£o que ela n√¬£o poderia fazer, 24 horas, come√¬ßando √¬† tardinha. Apesar de morar em outra cidade, ele liga para minha casa todas as noites, a √ªnica desculpa que tenho para n√¬£o estar em casa √¬© estar trabalhando.



Na quinta-feira combinada eu estava super ansiosa, com tes√¬£o, com medo, com mais tes√¬£o ainda.

Fui tomar um banho. Ap√¬≥s o banho passei creme pelo corpo todo, deixando a pele bem macia.

Fui me vestir, coloquei uma calcinha preta de rendas, bem cavada na bunda. O soutien, tamb√¬©m preto de rendas bem curto. O vestido, n√¬£o sabia qual colocar, decidi colocar um bem justo e curto, rosa com estampas de flores, estilo menininha, para satisfazer a gula dos coroas. Para finalizar uma sand√¬°lia de salto alto. Estava pronta e linda. Como minha bunda √¬© muito grande e o vestido era justo, ficou super saliente, bem provocante.



Combinamos que ele me pegaria em casa √¬†s oito horas e ir√¬≠amos para o local da festa.

√¬Äs oito horas, nos encontramos. Sem perder tempo fomos para o local, era o apartamento de um deles.



Quando chegamos no apartamento, todos j√¬° estavam l√¬°. Fui apresentada para todos. Todos coroas casados, mas assim como o Eduardo, muito atraentes.

Olhei a volta e vi que era s√¬≥ eu de mulher. Perguntei se viria mais alguma mulher. Eles riram e responderam que n√¬£o. Seria apenas eu. Disse a eles que nunca tinha feito uma suruba, que seria a primeira vez. Pedi que tivessem cuidado comigo. Eles disseram que fariam o que me desse prazer, o que eu n√¬£o quisesse n√¬£o fariam.



Eu estava nervosa n√¬£o sabia o que fazer com todos aqueles oito homens me olhando e sabendo que iriam me comer. Sentei numa poltrona. Eduardo me ofereceu uma bebida, outro colocou uma musica e fui me sentindo mais √¬† vontade.

Olhei para eles e ri. N√¬£o sei o que fazer, disse. Um deles levantou-se e me puxou para dan√¬ßar.

Dancei com todos e todos me alisaram as costas beijaram meu pesco√¬ßo, bolinaram minha bunda. A tes√¬£o come√¬ßou a florescer. Soltei-me e comecei a dan√¬ßar sozinha para deix√¬°-los excitados, como se j√¬° n√¬£o estivessem.

Depois de alguns minutos dan√¬ßando, eu tirei o vestido e fiquei dan√¬ßando s√¬≥ de sand√¬°lia, calcinha e soutien. O pessoal come√¬ßou a tirar a roupa e ficar a minha volta, me bolinando na bunda, nos seios, me deixando bem excitada.

Eu dan√¬ßava e agarrava o pau deles e esfregava em mim. Ficava de costas e esfregava a minha bunda no pau de algu√¬©m. Aquilo estava uma delicia. Depois de muita esfrega√¬ß√¬£o, um me conduziu para cama onde me puseram sentada.



Eles resolveram dividir em turnos, quatro de cada vez, para poderem aproveitar melhor. Foram os primeiros quatro. Nunca me senti t√¬£o tesuda e desejada como naquela vez, era um verdadeiro revezamento de pau. Rodeada pelos quatro, chupava um de um lado e outro de outro, enquanto punhetava outros dois. Cada um ganhava uma punhetada e uma chupada, nessa ordem. Eles urravam de prazer e falavam altas sacanagens o tempo inteiro, diziam ‚¬Ä¬úPuxa Edu, mas que putinha gostosa essa sua colega, precisamos te visitar no hospital!‚¬Ä¬Ě Uns riam e diziam: ‚¬Ä¬úImagina teu namorando te vendo aqui, doutorinha putinha. Dando para quatro machos de verdade, dominando quatro paus...‚¬Ä¬Ě

Como os quatro estavam em ponto de bala, o primeiro deitou de costas e eu cavalguei, sem soltar os outros tr√™s: um em cada m√¬£o e outro na boca. Foi depois disso que come√¬ßou o verdadeiro rod√¬≠zio: Dupla penetra√¬ß√¬£o variada e, conforme um ia gozando, sa√¬≠a do quarto e chamava outro, que entrava na farra, sempre come√¬ßando por uma chupeta intercalada por uma punheta. Ganhei muitos tapas na bunda e pux√¬Ķes de cabelo dos meus coroas gostosos.



Simplesmente amei ser a putinha safadinha deles, fizeram o que quiseram comigo, coisas que meu namorado sequer imagina que um homem possa fazer com uma mulher, quem dir√¬° quatro por vez!!! Gozei absurdamente muito, derrubei todos aqueles paus duros. Perdi a conta no final, nem sei quantas vezes foram. Fiquei completamente encharcada com tantos jatos de porra que recebi... no rosto, no peito, pesco√¬ßo, bunda.



Continuo com meu caso com Eduardo, por enquanto ningu√¬©m no hospital desconfia. Ainda n√¬£o repetimos a dose da nossa festinha, mas j√¬° estamos planejando uma pr√¬≥xima, s√¬≥ que dessa vez com mais uma mo√¬ßa.



Beijos.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELE«√O DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


nega dan√ßando agachadinho com a m√£o na periquita em cima da camavideos porno com mulher com o cuzinho todo arrombado tentando cagar sem sentir dor marido de pau pequenocontos er√≥ticos de casadas rabudas traindo seuputinha do papai desde-conto eroticocontos eroticos pai mae e maexoxota doce contoscontoeroticos/maefilhacontos erotico comi o hetero parte 19contos eroticos dominou toda a minha familiahomen bulinando o penis no chortlesbica dopando a amigacontos er√≥ticos de casadas rabudas traindoconto erotico incesto sonifero filhacontos eroticos entre filha e pai encoxando dentro do onibus cheioa minha mulher Ela foi arrombada pelo neg√£o como chega eu sentir coisa diferente dentro delazoofilia cachorro montando com for√ßaporno aniverssrio do sobrinho a tia fudet com elecontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteconto erotico lara a experienteContos dois na minha mulhercontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentepirulito do titio contos eroticosSentei na pica e cavalguei gostoso com a pica dentro parei prazercontos eroticos meu.padrasto me.comeu okinawan g√©lico porn√īorgia com velhas contos er√≥ticosContos gay carnaval em Veneza a namorada do meu enteado com minha.esposa e eu contocdzinhas lindas contoscontos eroticos arrombando a gordacontos de crosdresserescache:HVsxZOrs15AJ:http://okinawa-ufa.ru/m/conto_12619_quando-eu-dei-pela-primeira-vez.html+"dei pela primeira"Contos eroticos peitudapau duro micaelaMelhores contos eroticos sobre bem.dotadotirei o cabacinho de minha sobrinha novinha contoContos eroticos selvagenscontos gay transformado em putacontos aliviando as tetas de minha irmacontos eroticos meu marido ficou bebado eu dei para os amigos dele sem camisinha na frente delehistoria quadrinho eroticos de sexo na chuva biajudei o b√™bado e ele comeu meu cuzinhorapaz chupa seios com gula pornodoidoporn√ī com cavalos mangalarga fazendo com mulheres no cavaletedei minha bucetao mestruada e ingravidei contoscontos bdsm a porca marianacontos eu e meu marido adoramos ir no cinema ver pornoconto porno transei com meu paicontos eroticos eu e mamae humilhadacontos completos quentes esfregando so pra judiar pedindo masconto erotico a pequenininhaninfetas l√©sbicas beijando o peitoral dos travestisJ√° botei ela para transar eu n√£o vai botar o v√≠deo dela transando gemendo t√°contos eroticos arrombando a gordavizinho tezudocontos eroticos arrombando a gordaBucetas virgemdas das adolecentes doidocontos eroticos fui me ensinua para o papai e acabeiconto erotico de bucetas folozadaporn√ī o homem que nuca viu uma boceta quando viu endoidouContos eroticos minha amiga me contoualuninha dando cuzinho virgem para o professor pirocudo contos eroticosan√£o transando com jamaiscontos eroticos com coroas no cinema pornocontos eroticos relatados por mulherescontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos er peitinhos em forma√ßaoabusada contoContos erotico fudendo dentro dosai a noite com minha esposa conhecemos u desconhecido que comeu minha mulhercontos eroticos de incesto em ro√ßameu irm√£o me viciou em chupar pau conto gaycontos er√≥ticos afim do papai contos eroticos com fotos de mulheres casadas que foi violentada por bem dotadoscontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos de casadas que se entregam a outro homem