Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DV27. FILHINHA DE CAMINHONEIRO. PARTE 1

Ola pessoal, meu nome eh Valeria, atualmente com 23 anos, sou muito gostosa, tenho um emprego de secretaria agora, consegui ainda esse ano de 2004, por isso que naum tive muito tempo para meus contos, mas agora voltei pois estava com saudades de vcs, no fim desse conto explico a razão desse conto. Minha vida nem sempre foi assim, existe coisas que ainda naum contei pra ninguém ate hoje. No começo meu pai era caminhoneiro, tínhamos uma vida humilde mais muito feliz, mas quando estava com 8 anos, mamãe fugiu de nos, desistiu de nossa vida nas estradas, ficamos eu e meu pai vivendo sozinhos no caminhão, papai naum poderia parar com seu serviço para cuidar de mim, decidiu que me levaria junto com ele na longa vida de caminhoneiro pelas estradas do Brasil, ele me cuidava muito bem, todas as noites nos íamos dormir na boleia no caminhão sobre um colchão pequeno, ele me abraçava e dormíamos bem escostado em mim, eu me sentia segura por isso, era apenas uma menina, mas com o tempo ele foi mudando, as vezes ele convidava umas mulheres estranhas que andavam pelas estradas para uma carona, dizia que eram amigas dele, mas essas mulheres se vestiam a vontade com mini-saia e por cima bikinis, no qual mostravam suas coxas e seios que eram bem grandes, papai parava em lugares bem afastados, mandava eu ficar esperando na cabine e ia com sua amiga para parte de trás do caminhão, e ficava lá por um longo tempo, eu ficava ansiosa pra andar de caminhão, todos os dias era a mesma cena ate que a curiosidade me pegou, fui espiar o que faziam escondido de mim, vi algo totalmente estranho eles ali atras no caminhão, estavam os dois deitados no colchão um escostado no outro do mesmo jeito que fazia comigo, mas papai estava fazendo movimentos com seu quadril, para cima e para baixo, achei muito estranho, logo voltei na cabine com medo de papai me ver, com o decorrer dos dias eu via cada vez mais aquilo que papai fazia, não consegui ver muito pois estava muito escuro ali atras, comecei a reparar que eu e essas mulheres tinham corpo diferentes do meu, seios bem maiores, bunda bem largas e coxas bem grossas. Devia ser por isso que papai nunca fez aquilo comigo, um dia sem ele ver tirei minha roupa e reparei meu corpo era magrinho, meus seios eram apenas ervilhas minha bunda bem pequena, naum tinha protuberâncias com que suas amigas tinham, mas com os anos meu corpo foi mudando como que num passe de magica, já tinha 19 anos e vi que meu corpo ficou diferente tinha seios maiores, minhas coxas engrossaram e meu bumbum ficou bem maior, largo e macio, somente uma imagem eu via na cabeça será que papai ira fazer o mesmo comigo que fazia com suas amigas. Pois agora meu corpo estava ficando igual aos delas. Uma vez pus uma roupa bem curtinha, um vestido que eu usava aos 19 anos, ficou bem apertado em mim, ficou muitas partes de meu corpo a mostra, minhas coxas e meus seios bem definidos em cima, sentei ao lado do papai na cabine, vi que me cuidava do pés da cabeça, me senti feliz por isso, nesta noite ele dormiu bem agarrado em mim como sempre fez, mas notei algo fazendo força no meu bumbum, havia algo dentro se suas calças, fiquei curiosa queria saber que era, esperei papai pegar no sono, abri com cuidado o zíper foi que saltou pra fora uma coisa grande, pensei era uma linguiça, porque será que papai tinha aquilo para que servia, aproveitei e baixei minha calcinha para ver o quanto era diferente de minha perereca, pensei e repensei, já sei o que papai fazia com essa linguiça ele tentava colocar dentro da perereca das suas amigas, quando pensei minha perereca começou a largar líquidos que nunca fez antes, minha perereca era muito pequena para aguentar aquela linguiça dentro, fechei o zíper e fui dormir assustada cheia de idéias na cabeça, nesta noite minha perereca vazou sem parar, me molhei todinha, no outro dia estávamos andando por uma estrada foi ai que perguntei ao papai, se ele iria fazer o mesmo comigo como faz com suas amigas, ele de susto parou o caminhão, estava pasmo comigo, disse a ele que deixaria ele fazer aquilo comigo, ele respondeu que naum poderia fazer aquilo isso era muito errado, então eu ergui meu vestido e mostrei minha perereca a ele, disse a ele que tinha uma perereca pequena mas queria sentir ser penetrada por sua linguiça grande, ele viu minha perereca com poucos pelinhos seu olhar brilhou, aceitou na hora, ele estacionou o caminhão fomos para trás do caminhão e fechamos a porta, papai disse para mim tirar minha roupa e deitasse no colchão, que vergonha eu fiquei comecei me despir e papai em olhando, ele também abaixou suas calças e ficou apenas de camisa, sua linguiça estava bem dura, eu me sentei no colchão, abri bem as pernas para papai ver minha perereca com poucos pelinhos, logo ele já veio e deitou encima de mim, cheguei a ficar estasiada de felicidade, logo embaixo ele esconstou sua enorme linguiça na boquinha de minha perereca, ao primeiro toque chequei suspirar, seu quadril pesado foi forçando a entrada se sua enorme linguiça, senti minha perereca laciando agarrando tal pedaço de carne, comecei a sentir dor por ser a primeira vez, mas fui sedento para a felicidade dele, parecia que ia me rasgar ao meio, eu apenas gemia de dor, foi que sua linguiça tocou em algum lugar dentro que impediu sua penetração, ainda faltava muita linguiça a entrar, com certeza iria me abrir ao meio, fechei os olhos cruzei minhas pernas sobre suas costas agarrando com força e ele meteu sem contemplação o resto de sua linguiça, foi arrombando tudo rasgou minha perereca por dentro, larguei um grito bem alto de dor, mas uma dor agradável, minha perereca engoliu aquela linguiça ate o talo, demorou cerca de 19 minutos para a dor passar, em seguida ele começou a mexer seu quadril tirando e pondo sua linguiça com muita força em mim, minha perereca tava toda deflorada por ele, eu quase chorei de dor, mas era gostoso o que ele fazia comigo, papai ofegava no meu pescoço, eu apenas gemia aceitando tudinho, a dor foi passando sentia-me desejada por ele, algo gostoso estava por vir, ate que papai urrou como um leão, sua linguiça explodiu dentro de mim algo quente invadiu meu pequeno útero, me acendeu por dentro, saiu lagrimas de meus olhos, ele caiu sobre mim sua linguiça jorrava sem parar aquilo em mim, ficou por um longo tempo gemendo, me olhava direto nos olhos feliz da vida comigo, depois ele saiu de cima dizendo que teria que ir pois tínhamos um entrega a fazer, eu ainda sentia dor e um enorme volume daquilo dentro de mim. Me levantei sentir escorrer um liquido branco bem pegajoso de mim junto com sangue do meu defloramento, perguntei ao meu pai o que era isso, fiquei assustada, ele disse para mim ficar calma que iria me explicar tudinho, mas isso fica para o práximo conto. Isso foi o que aconteceu com uma amiga minha, em contando o inicio de sua vida, queria ser eu a filhinha desse caminhoneiro ainda não ficou sá ai, vc mail podem esperar o práximo conto baseado na conversa com essa minha amiga. Agradeço o mails de todos meus fãs. Bjos. T+



By Dra Valéria

[email protected]

dravaleria.ubbi.com.br

20032004

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos gay comendo o muleke do orfanatoconto erotico desconfiei de minha esposaCU arrombado ABERTO madrasta contocontos cagou pauContos eróticos traindo na praia de nudismocontos fudendo casal bi drive inncontos eroticos flagrei minha mae fudendo com travestiÇonto erotico coroa da bunda grandeele me enrabofotus de zoofiliaConto arredou a calcnha pro lado e enterrou tudo numa vezcontos eroticos sou casada mas adoro pica de cavalosBaixou minha calcinha e meteu contose o marido viajando no meu tio meu tio meditando contos eróticos transei com elecontos eroticos enrabada pelo professor de academiahttp://googleweblight.com/?lite_url=http://okinawa-ufa.ru/conto_25933_fodendo-o-recepcionista-do-hotel.html&ei=h1fTW1EH&lc=pt-BR&s=1&m=739&host=www.google.com.br&ts=1489513220&sig=AJsQQ1A6LGGFLRL7NY2__JYTuAweTMayWwzoofilia custou cara e mulher nao aguentou estocada do cavconto primeiro boqueteOi meu nome ê marta tenho uma amiga travesti e ela micomeucorno safada do Pará corto eróticoscontos eroticos confissões fAmiliarescontos eróticos genroContos virei a puta dos oito negros picudosReparei maquina de lavar para minha tia conto erodicoconto erotico o cheiro da minha tiacontos eróticos prima e irmãcontos cagou paucontos esposa da o cu no acampamento ao lado d marido no escurolésbicas esfregando pernas de rã veridicocontos colocando menina pra. mamarcontos eróticos vovó safadacontos eroticos na marravideos insesto no cusinho nao engravifaConto erótico meu nome é Lucinda preucupada com a saúde do meu filho contos eróticos coroas lindasporno doido zoofilia fetiche cachorro lambendo a bucetacontos eroticos comendo giovanamocinha do cu guloso contocontos de metendo em uma peluda ruivainocênciaperdida contos eroticos gaymeu cu ficou rasgado e sangrando contoscontos erótico de estupro de empregadasconto eu e a minha mulher fomos a um praia e uns muleques nos deram ums bebidas e fuderam a minha esposacasal menage experiencias sexuais contadascasa dos contos eroticos mae dando pro filho novinhocontos eroticos eu era virgemeu de shortinho socado em casa contoscontos eroticos mae desnaturada 2a filhinha do meu amigo contos pornocontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crentecontos eroticos de vendas passei gelo no corpo delecontos eroticos viadocontos erotico meu pai e meu tio armaram pra fuder eu e minha primaContos eróticos à força de negros brutosconto erótico de incesto de sobrinha e tio casa de contos sem querer me apaixoneiContos eróticos heterossexualAbrindo as pernas para o sobrinho contoChantageei minha tia escrava lesbica contocontos comida com meu namorado na cachoeiracontos eroticos arrombando a gordaConto gay dei meu cu primeira vez depois da farracontos eroticos a bunda gostosa da minha cunhadacontos de seios bicudosdando pro impregado do papaicontos tia marta sua bundacasa dos contos roubei a calcinha da minha cunhada pra bater uma punhetaconto lesbica humilhei minha amigafui encoxada no tremcontos eroticos fudendo com uma travesticonto.de.cormocontos gays - meu irmão falou ele não vai comerzoofilia cachorro engatado no Rio de Janeiro cariocacontos eroticos acampamento pirenopoliscomtos sou lesbica e adoro um cusinho novinhoGay passiva com dois negoes contosconto eroticos ,tio e pai dando banho na sobrinha de 6ou 7contos eroticos arrombando a gordadei gostoso. pro meu pai pistoludocontos eroticos gay meu tio de dezenove anos me enrabou dormindo quando eu tinha dez anosContos eroticos de asados fasemdo trocas com as esposascontos eroticos lesbicas cintaConto erotica de mulher fuder a cagarcurtos relatos eróticos de estupro fortichama Laura para ir comigo lá no a f*** com gayconto erotico incesto sonifero filhaver rapasea novos grizalhos pelados de pau durocontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos nordeste