Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O ACORDO - TIRA MINHA FOTO QUE TE MAMO

Olá a todos que acompanham as histárias do pessoal e que agora acompanha mais uma das minhas histárias. Lembrando sempre que todos os fatos são reais.



Bom, o conto que conduzirei agora ocorreu a poucos dias. Hoje tenho 22 anos, sou alto (1.80), corpo do estilo falso magro, branco, coxas grossas e bundinha com alguns pêlos grandinha e redondinha. Sou bissexual, não efeminado e ninguém desconfia que curto levar uma boa picada no rabo.

Já fazia tempo que não tinha a oportunidade de levar picada, mas também não estava morrendo de vontade de fazer isso. Fazia um bom tempo que não rolava e conversava com o pessoal no meu MSN feito especialmente pra conhecer outros caras (90% deles de fora da cidade). Um deles, que vou chamar de Gustavo, chamou um pouco de atenção e morava em Goiânia, tinha 38 anos e trabalhava nessas empresas onde ele faz prestação de serviço em tudo quanto é canto. Ele chamou a atenção pela maneira que conversava comigo, sempre prestava atenção em tudo, comentava sobre tudo e quando falávamos sobre sexo, boa parte das conversas batiam. Ficamos nessa por alguns meses até que ele disse que iria fazer um trabalho em Brasília por dois meses e que depois iria para a matriz em São Paulo. Por conta do serviço era separado e não tinha filhos, dizia ele que sempre que dava aliviava o tesão com uma garota de programa ou com um carinha que ficava afim dele. Enfim, ele veio pra Brasília (que é práximo de minha cidade) e sempre tinhamos assunto, dos mais variados. O predominante era sobre sexo. Até que um dia conversando sobre fantasias sexuais perguntei a ele se ele tinha uma fantasia sexual que gostaria de fazer. Segundo ele, uma fantasia seria tirar umas fotos de um carinha nu, sá da bundinha dele e enquanto a sessão de fotos prosseguisse ele ia mostrando a sua real intenção. Daí bateu uma idéia bacana de que poderíamos fazer aquilo. Primeiro vi com a família (moro com ela) se eles realmente iriam para Brasília num fim de semana, o que foi confirmado. Disse a eles que infelizmente não poderia ir pois tinha uma reunião do trabalho em pleno sábado. Eles nem ligaram e muito menos perceberam aquilo. Depois disso conversando com Gustavo disse a ele que queria vê-lo naquele fim de semana e que teria local pra ficarmos a vontade. Ele disse que no sábado iria dar uma assistência em Planaltina e que de lá viria a Formosa. Passei meu número e aguardei a sua ligação. Pela manhã de sábado os pais foram pra Brasília e eu preparei a casa e me preparei pra ser enrabado. Fiquei com o coração na boca. Aquela sensação de espera era de matar. Parecia a primeira vez até que práximo das 19 horas ele me liga meio desconfiado perguntando onde estava. Disse que estava esperando por ele em casa e expliquei a ele para procurar um ponto bem conhecido da cidade, morava a poucos metros dali. Passado alguns minutos ele me liga de novo e eu digo a ele que vou para o ponto para indicar onde morava. Chegando lá vi o carro dele e me aproximei cumprimentando ele pelo lado do motorista como se fossem dois amigos se vendo mesmo. Conversamos poucos segundos e ele me convidou para entrar no carro. Entrei e ele partiu. Mal saiu do lugar e ele disse que eu era muito gatinho. Logo elogiou meus lábios também, que são meio carnudos. Quase que simultaneamente vi o volume na calça dele ficando maior. Fomos direto pra casa. Chegando em casa perguntei a ele se não queria tomar um banho já que estava em viagem a negácios e talvez estaria cansado e um bom banho poderia dar uma relaxada. Ele achou a idéia átima e buscou algumas peças de roupas dentro do carro que tinha ficado na garagem da casa. Enquanto ele tomava banho nás nos falávamos sobre como foi os negácios dele, se ele estava com fome e coisas do tipo, sobre a BR. Enfim, ele saiu do banho sá de toalha indo para meu quarto se vestir. Nunca tinha visto seu corpo e ao vê-lo seminu fiquei um pouco mais excitado. Tinha o corpo do tipo corpão de homem mesmo, não era muito peludo e tinha aquela barriguinha, porém pequena. Era atraente pra idade dele e seu pau estava meio duro por baixo da toalha. Ele se vestiu com uma camiseta e um short do tipo de time de futebol com uma sandália. Eu estava com uma camiseta e uma bermuda tectel. Ele sentou ao meu lado e falou que ele era louco por carinhas do meu tipo, que usavam bermuda tectel e que eram do tipo machinho. Eu ouvia e deixava ele falar o que queria até que ao perceber que o nível de excitação dele estava altíssimo disse a ele que ele sabia do acordo e disse: "Se quizer me fuder, primeiro tem que bater algumas fotos do meu rabo". Peguei uma câmera e passei a ele que logo queria me ver pelado. Tirei minha camiseta e a bermuda ficando sá de cueca. Disse a ele que queria umas fotos de cueca. Ele ia tirando as fotos e se insunuando. Dizia que meu rabo era perfeito e que ele tinha que levar pica. E eu ficava de 4 com a bunda bem empinada pra delírio de Gustavo. Depois de umas 19 fotos ele arrancou o pau pra fora sem tirar o short e ia batendo uma de leve enquanto me ajeitava pra foto. Na hora estava deitado com a cabeça perto dele e vi que ele tirou o pau estrategicamente. Vi seu pau perto de mim e não podia mais ficar na insinuação. Tinha sede de pau e me acheguei perto de seu pau como se desse um bote. Comecei a punhetá-lo deitado de bruços com ele meio em pé meio agachado perto de mim. Logo vi ele deixando a câmera de lado. Ele pegou na minha bunda e começou a alisar enquanto punhetava seu pau e ficava fazendo cu doce pra chupá-lo. Ele sá gemia e cada vez mais ficava louco pra me ver mamando em teu pau. Eu dizia coisas do tipo: "Quer ver meus lábios carnudos em volta do teu pau? Pede então" Ele sá gemia e me bolinava. De repente ele lambe seu dedo e mete no meu rabo gostosamente. Eu meio desajeitado fico de quatro e peço pra ele ficar sentado no sofá com as pernas abertas. Quando ele se levanta tiro seu short de uma vez e ele senta bem relaxado. Eu continuei a punhetá-lo. Desta vez cuspindo sobre seu pau e tocando a punheta. Perguntando: "Será que eu chupo essa vara?" Ia perto do teu pau parecendo que ia chupar e recuava parecendo aquelas putinhas enojadas. Numa dessas idas lambi por baixo da cabeça de seu pau e senti o gosto de seu pau. Um salgadinho bem gostoso que fiquei provando. Ele não aguentou e pegou pela minha nuca puxando sobre seu pau dizendo. "Chupa caralho!" Quando ele puxou abri bastante minha boca e de uma vez coloquei seu pau no fundo da minha garganta. Ele ficou todo arrepiado e eu voltei bem devagar. Tirei minha boca e comecei a chupar seu pau feito um bezerrinho desmamado em busca de leite. Arregacei seu pau e chupei com uma certa violência. Seu pau ficou mais duro e grande quando enquanto chupava fazia um garganta profunda nele. Babava bastante e ficava louco de tesão a cada engasgada que sua piroca me oferecia a cada toque no fundo da garganta. Ele sá gemia e de repente disse: "Puta que pariu, que boca gostosaaaa... vou gozaaarrr". Continuei chupando seu pau e dando leve punhetas até sentir suas jorradas. A primeira veio forte e intensa e deixei cair em meus lábios. Continuei a punhetá-lo e abri minha boca para as práximas. Vieram mais 3 boas jorradas que deixou minha boca com uma quantidade razoável de porra. Ele pegou a câmera e tirou uma foto do meu rosto todo sujo (foto deletada posteriormente, vai que vaza na net. Tô frito). A foto era daquelas bem bacanas. Mas acabamos deletando... Brinquei um pouco com sua porra e depois cuspi no banheiro. Ainda voltei e limpei seu caralho engolindo o restinho de porra que fica. Salgadinho e bem viscoso. Sá que seu pau não subiu de novo no momento. Percebi que poderia fazer o que fosse que não ia subir e ele dizia que nunca tinha gozado tanto. Que eu era um cara muito gostosinho e me encheu de elogios. No fundo queria era pica. Que maldito acordo é esse que ele não cumpriu a parte dele. Ele disse que a fantasia tinha sido legal e tal. Disse a ele que tinha comprado uma calcinha vermelha e uma sainha do tipo colegial (curtinha e rodada) pra ele tirar outras fotos minhas. Ele ficou meio assim e disse que ele achava que não ia dar conta de repetir a dose (pra minha decepção). Tava louco pra dar meu cú e o cara goza na chupeta. Fiquei revoltado, mas não demonstrei isso, claro. Mas de boa, dizia ele que iria tirar as fotos depois então. Conversamos mais um pouco e ele foi embora. Uma pena! Espero que ele retorne pra cumprir o prometido...



----------------------------------------------------------------------

Obrigado pelas visitações aos meus outros contos. Quem quiser me conhecer, trocar idéias ou até mesmo terminar o que Gustavo começou, meu MSN é [email protected]

Gosto muito de conhecer as fantasias sexuais dos outros e, se houver possibilidade, estou disponível para a realização de alguns.



Até o práximo conto...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


primeira mulher a fazer zoofilia.no cinemamarido chupa seios quando está nervosocontos eroticos vizinha chamou pra tomar banho com elaconto zoofilia novinha e os cachorros Minas Geraisamigo tenta estrupar amigo bebadocontos eroticos arrombando a gordacontos eroticos arrombando a gordatraficante contos eróticoscontos eróticos na roça com minha maecontos erotico dando pra nao passar fomeminha sogra deu o cu para o cachorro contominha tia é demais ela chupa eu gozo e ela continua chupandogarotinho teen gemendo no pau e rebolando gostosoconto com teens fudrndo as duas sobrinhas de dez e doze anoscontos comadres lesbicaschortinho q deixa as magrasgostosascontos gays sendo o viadinhos dos adultos que me humilhavamContos eroticos gosto de estupro seiosFuderan meu cu e minha esposa ajudou os carascunhada no cio contosmurhler.abusada.estrupradocontos eroticos mamae e papai me encinaram a chupar bucetacontos estuprada por um cavaloeu estou transando com a minha primameu viadinho querido gostoso novinho doze anos contos eroticoscontos eróticos esposa de bebado não tem donocontos eróticos casais com exfui violentada por um travesti que deixou minha buceta toda meladaconto trepou cornoconro erotico gay meu tio alopradomeu cunhado tirou o cabaço do cú da minha esposacontos vizinha novinha mas ja bem.desenvolvidacontos erotico com irmaomarido sortiado a esposa contos eroticosporno coroa pauzeracontos eroticos acordar minha filhadepois de dar pro ricardao dei pro meu marido contomeu irmão me viciou em chupar pau conto gayconto eroticos meu genrocontos fudendo com priminhs de dose snoscontoerotico quase corri negrinho caralhudocontos eroticos Camping da Bia com meu irmaochapeleta pegando a casadacontos eroticos do R.G.do Sulcantos eroticos dando meu cuzao para meu filhocomi a minha cunhada Adrianavideo gayzinho afeminado com seu cuzinho lisinho dando o cuzinho pornodoidoempregada é chatagiada pelo patra e tem qui sar a bucetacontos de gay passivo dando pro machocontos de coroa com novinhocontos eróticos vi minha vizinha dando pro meu cãoMeu meio irmão do pau de chocolate contostransei com a cunhadacontos eroticos fui cumida a traz do salão da igrejacontos eroticos arrombando a gordacontos de sexo depilei minha bucetacontos eróticos meu padrasto lambia minha buceta como loucocontos eroticos com mae e tia dando cucu furico bunda peito pênis contos eroiticoscontos de coroa com novinhovoyeur de esposa conto eroticocontos excitantesvelho mete na novia que precisa de dinheiro.pintudocontos comendo o cuzinho dela dopadacontos eroticos fudendo a amiga da minha mae crenteContos sou casada com um travecoconto erotico foda com a viuvinhaconto esposa transa com marido se exibe pra molecadaMeu marido deu carona para um estranho e me insunuei pra elecontos eroticos papai dormindo bebado eu aproveiteichamo me samanta e ao escrever este conto estou com 19 anospapai descobriu contos eroticosfui pintar a casa da minha cunhada com ela e minha esposa e o marido dela cantos eroticosComtos casadas fodidas em matagalcontos comi a internadacontos eroticos gays quando pequeno atiçei meu tiodando/o cabaço pro titio conto exitantecontos eroticos arrombando a gorda